Vasco ainda não acertou situação de Morais

Até a próxima semana, o Vasco deve acertar a situação contratual do meia Morais. Hoje, clube e jogador estiveram na Justiça do Trabalho, onde foi feita uma proposta salarial para que um acordo seja celebrado até a nova audiência judicial marcada para abril. O Vasco propôs a Morais o pagamento de salários de R$ 10 mil, R$ 20 mil e R$ 30 mil, reajustados progressivamente ao término de cada ano, dos três do futuro contrato. O acordo só não foi celebrado, porque o clube exigiu incluir uma cláusula, em que o meia terá de estar sendo escalado no time titular para receber os aumentos nos rendimentos. O principal receio de Morais, que a princípio concordou com a proposta, foi o de que na época do reajuste ele estivesse sendo escalado entre os reservas. Diante do impasse, a juíza trabalhista Ana Magalhães optou por dar mais tempo "às partes" e marcou um novo encontro para o mês que vem. Ao final da audiência tanto o jogador quanto os representantes do Vasco deram declarações otimistas sobre o fim do impasse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.