Felipe Dana/AP
Felipe Dana/AP

Vasco aplica 6 a 0 no Botafogo com três gols de Dodô

Atacante não marcava desde agosto de 2008, antes de ser suspenso por doping; time é o lider do Grupo B

AE, Agencia Estado

24 de janeiro de 2010 | 22h00

O torcedor do Botafogo que foi ao Engenhão, neste domingo, assistir à estreia de "El Loco" Abreu, forte candidato a ídolo, acabou por ver o renascimento de um antigo. Dodô não teve piedade de seu ex-clube e marcou três gols no primeiro tempo, para liderar o Vasco em uma acachapante vitória de 6 a 0, uma das maiores da história do clássico. O maior placar construído pelo Vasco sobre o Botafogo foi um 7 a 0, em 2001.

A festa de Dodô começou cedo. Logo aos três minutos, o atacante fez boa jogada, limpou um marcador e chutou rasteiro, no canto de Jefferson. A vida vascaína ficou muito mais fácil quando Eduardo foi expulso aos 14, ao dar uma sola perigosa em Souza.

Durante a parada técnica obrigatória, minutos depois, o técnico botafoguense, Estevam Soares, tentou controlar os nervos de seu time. "Se nos desesperarmos as coisas vão ficar piores". Pois foi o que aconteceu.

Aos 32, Carlos Alberto cruzou, a zaga falhou e Dodô mostrou oportunismo para tocar para as redes. Dois minutos depois, foi a vez de o veterano mostrar categoria. Em contra-ataque rápido, Souza tocou para o atacante, que mandou por cima de Jefferson. Nas arquibancadas, um torcedor botafoguense protestou ateando fogo à camisa alvinegra.

"Já estava satisfeito com os dois primeiros jogos. A gente é cobrado e precisa marcar gols, mas estava tranquilo", comentou Dodô, que não marcava desde agosto de 2008.

No segundo tempo o atropelamento continuou. Aos 10 minutos, Léo Gago cobrou falta com força, no meio do gol, mas Jefferson falhou e permitiu o quarto. Foi o primeiro gol do meia com a camisa vascaína. Quatro minutos depois, foi a vez do jovem Philippe Coutinho desencantar pelo time profissional. Aproveitando passe de Dodô, tocou na saída de Jefferson.

Com o Botafogo nas cordas, sem interesse e completamente desorganizado em campo, o Vasco ainda perdeu algumas chances antes de chegar ao sexto. Aos 36, Philippe Coutinho recebeu de Rafael Coelho e chutou colocado, fechando o placar e deixando o Botafogo e Estevam Soares com muitas explicações para dar.

O Vasco volta a campo na quinta-feira para enfrentar o Macaé, em São Januário, pela quarta rodada. No dia anterior, o Botafogo encara o Tigres, fora de casa, em busca da reabilitação.

Ficha Técnica:

Botafogo 0 x 6 Vasco

Botafogo - Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Wellington e Marcelo Cordeiro; Leandro Guerreiro, Fahel, Eduardo e Lúcio Flávio (Renato); Herrera e Abreu (Somália). Técnico: Estevam Soares.

Vasco - Fernando Prass; Fagner (Thiago Martinelli), Fernando, Titi e Márcio Careca; Nilton, Souza (Rafael Coelho), Leo Gago e Carlos Alberto (Magno); Philippe Coutinho e Dodô. Técnico: Vágner Mancini.

Gols - Dodô, aos 3, aos 32, e aos 34 minutos do primeiro tempo. Léo Gago, aos 10, e Philippe Coutinho, aos 14 e aos 36 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Alessandro, Antônio Carlos, Fahel, Herrera (Botafogo); Fagner, Márcio Careca, Léo Gago e Dodô (Vasco).

Cartão vermelho - Eduardo (Botafogo).

Árbitro - Felipe Gomes da Silva.

Renda - R$ 486.980,00.

Público - 21.190 pagantes.

Local - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.