Vasco arranca empate contra Baraúnas

O Vasco não jogou bem, mas saiu satisfeito com o empate com o Baraúnas, por 2 a 2, nesta quinta-feira, no Estádio Nogueirão, pelas oitavas-de-finais da Copa do Brasil. Fez dois gols aproveitando-se de falhas da zaga adversária, mas também contou com uma atuação fraca de seu goleiro. Cássio errou nos gols da equipe da casa e se mostrou inseguro durante boa parte da partida. O Vasco traz de Mossoró uma boa vantagem para o jogo de volta, em São Januário, no dia 20 ? pode empatar por 0 a 0 ou 1 a 1 que avançará à fase quartas-de-final do torneio. O jogo começou bem movimentado. O meia Róbson Luiz, do Vasco, teve a primeira oportunidade de gol, mas finalizou mal. Da entrada da área, livre de marcação, chutou mal. A resposta não tardou: o atacante Cícero Ramalho ou, simplesmente Cícero Romário, de 40 anos, como é chamado pelos torcedores do Baraúnas por sua idade avançada, obrigou o goleiro Cássio a fazer boa defesa. A torcida local aplaudia tanto as jogadas da equipe da casa quanto às do adversário. E teve também de bater palmas para a boa cabeçada de Alex Dias, que passou rente à trave. Esses três lances de emoção ocorreram em 15 minutos. O Vasco foi obrigado a promover duas substituições por contusão, antes dos 20. Dominguez, que atuava improvisado no ataque, e o meia Rafael cederam lugar a Rubens e Osmar, respectivamente. A equipe carioca acusou o golpe: perdeu força ofensiva e, ao mesmo tempo, qualidade técnica. Passou a errar muitos passes. Por isso, seu gol nasceu de uma falha do zagueiro adversário, que errou uma cabeçada próxima de sua área. A bola sobrou para o lateral-esquerdo Jorginho Paulista, que cruzou e Alex Dias, de primeira, chutou com eficiência: 1 a 0, aos 37. Nos dois minutos seguintes, o Baraúnas conseguiu a virada graças ao goleiro Cássio. Depois de um cruzamento, ele soltou a bola nos pés de Cícero Romário, que, a exemplo do craque vascaíno, estava bem posicionado e finalizou bem: 1 a 1. Na jogada seguinte, Cássio saiu jogando errado, Álvaro recuperou a posse de bola, driblou um zagueiro, e chutou cruzado para fazer 2 a 1. O intervalo fez bem ao Vasco. Pelo menos, voltou mais disposto a atacar nos minutos iniciais. Como prêmio, conseguiu seu gol de empate: Rubens cruzou e o zagueiro Haroldo foi afastar o ?perigo?, mas jogou a bola contra o próprio gol: 2 a 2, aos 6. Antes, porém, a equipe de São Januário passou um susto. O meia Celso arriscou um chute de fora da área, a bola quicou numa parte irregular do gramado, o famoso ?montinho artilheiro?, e acertou o rosto de Cássio. O goleiro do Vasco se redimiu num contra-ataque do Baraúnas, em que Henrique entrou livre de marcação, mas não conseguiu superá-lo. Quase no fim do confronto, Jorginho Paulista desperdiçou o gol da vitória. Á frente de Isaías, chutou por cima do travessão.Confira como está a tabela da Copa do Brasil 2005.

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 23h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.