Vasco arranca empate em Campinas

O Guarani empatou com o Vasco da Gama, por 1 a 1, pelo Torneio Rio-São Paulo, neste domingo à tarde, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. O Vasco da Gama, que não teve os atacantes Romário e Euller, machucados, contou com a sorte ao empatar o jogo aos 49 minutos do segundo tempo com um chute despretensioso de Felipe. O meia Marcinho marcou para o Guarani. Após este resultado, o Guarani chegou aos 16 pontos e se manteve na sétima posição. O Vasco é quarto colocado, com 19 pontos, igual número de pontos do Botafogo que leva vantagem nos critérios de desempate. O Guarani iniciou o jogo com muita personalidade, dominando o meio-campo e encontrando muita facilidade para tocar a bola. Além disso, a movimentação dos atacantes bugrinos confundia a marcação da defesa vascaína, muito mal posicionada. Sem Romário em campo, quem apareceu bem foi outro baixinho, Marcinho, meia-atacante do Guarani. Ele recebeu um toque de letra de Dudu e ficou na frente do goleiro Helton, tendo muita categoria para desviar a bola para as redes, aos 10 minutos. Em seguida, sempre explorando as laterais do campo, o Guarani teve mais duas ou três chances que poderiam ser decisivas para garantir a vitória. O Vasco chegou ao ataque raras vezes, além de apresentar muita lentidão na saída de bola. Só ameaçou o goleiro César num chute cruzado de Souza, ironicamente substituto de Romário. No segundo tempo, o Vasco não voltou modificado mas com outra disposição. O time diminuiu os espaços no meio campo e passou a ameaçar o goleiro César, mas sentiu muito as ausências de seus principais atacantes: Euller e Romário. A chance mais real vascaína aconteceu aos 16 minutos, quando o zagueiro André Leone cabeceou uma bola no travessão após cobrança de escanteio. O Guarani não perdia a força do contra-ataque e Dudu devolveu, de cabeça, a bola na trave aos 20 minutos, depois de bonita jogada de Rafael Silva pelo lado direito. O forte calor forçou a diminuição de ritmo dos dois times, ficando melhor para o Guarani que se defendia. O Guarani, porém, não soube matar o jogo e o Vasco da Gama contou com a ajuda do goleiro César, que aceitou um chute fraco de Felipe já nos acréscimos. O empate foi o resultado mais justo.

Agencia Estado,

17 Março 2002 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.