Rafael Ribeiro / Vasco
Rafael Ribeiro / Vasco

Vasco busca recursos para novo CT com torcedores e banco

Após sucesso em programa de sócio-torcedor, Gigante da Colina arma nova tática para ter mais renda vinda de quem é apaixonado pelo clube

Marcio Dolzan / RIO, O Estado de S.Paulo

24 de dezembro de 2019 | 07h30

Sem dinheiro em caixa (como o próprio técnico Abel Braga deixou claro em sua apresentação) e com algumas dívidas de curto prazo próximas de serem executadas, o Vasco tem buscado garantir seu futuro no futebol da maneira mais romântica: com a ajuda do torcedor. Ao mesmo tempo em que viu seu quadro social quintuplicar em poucas semanas, sua diretoria aposta em um financiamento coletivo para colocar em pé seu Centro de Treinamento. O dinheiro está sendo arrecado. Aos poucos, e também com um empurrãozinho do seu patrocinador master, a iniciativa vem dando certo.

O clube carioca lançou no segundo semestre deste ano a campanha “Nosso CT”, que tem por finalidade levantar recursos para a construção do novo centro de treinamentos do futebol. O projeto arquitetônico prevê investimentos inicial de até R$ 30 milhões para ser concluído. Com apenas 1/5 disso, porém, o Vasco terá condições de treinar a equipe profissional no local já no primeiro trimestre do próximo ano. Abel Braga assumiu a equipe no lugar de Vanderlei Luxemburgo e também está otimista em voltar a trabalhar no Rio, uma vez que ele não conseguiu “salvar” o Cruzeiro do rebaixamento.

Essa primeira etapa do novo CT está orçada em R$ 6 milhões, e foi dividida em quatro fases de financiamento coletivo. Elas servirão para fazer as obras de terraplenagem, serviços técnicos, construção de dois campos oficiais de jogo, muros, adjacências e edificações. O torcedor pode contribuir com valores a partir de R$ 15. Até o fim da semana passada, o montante arrecadado pelo Vasco superava os R$ 4,1 milhões, dinheiro suficiente para bancar as duas primeiras etapas do projeto e iniciar a terceira.

Um dos patrocinadores do clube também está injetando dinheiro na obra. No domingo dia 8, antes da partida entre Vasco e Chapecoense pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o presidente do clube carioca, Alexandre Campello, anunciou que o banco BMG se comprometeu a completar o valor que faltava para bancar a segunda fase. São cerca de R$ 300 mil, para um custo total estimado em R$ 1,5 milhão. A instituição financeira, além do Vasco, também tem negócios com o Atlético Mineiro e Corinthians.

O CT do Vasco está sendo erguidos em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade, em uma área de 80 mil metros quadrados. O projeto prevê a construção de sete campos com dimensões oficiais, além de sete módulos, contando com instalações para abrigar o time profissional e os garotos da base; hotelaria; serviços do futebol; um estádio com capacidade para duas mil pessoas; estacionamento e sala de imprensa.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Vascofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.