Vasco comemora de forma tímida

A ordem no Vasco era de comemoração tímida. A alegria pela conquista da Taça Rio não motivou a diretoria do clube a fazer homenagem especial aos jogadores. Para o técnico Geninho, que ganhou seu primeiro título no futebol carioca, o time tem de se concentrar na disputa da Copa do Brasil - enfrenta o XV-Novenbro (RS), em São Januário, na quarta-feira - e nas duas partidas finais do Carioca, contra o Flamengo."Foi uma vitória justa, pelo que apresentamos. Fomos bem superiores ao Fluminense durante toda a partida", disse Geninho.Das tribunas especiais, o meia Marcelinho, contundido, vibrou com o título e disse que deve estar em condições de atuar contra o Flamengo pelo menos no segundo jogo. "Torcer de fora é terrível. Vencemos com uma grande atuação da equipe e agora é pensar no Flamengo." O atacante Valdir, artilheiro do Carioca, disse que seu clube tem de se recuperar do desgaste da semifinal durante a semana. Feliz por ter deixado sua marca no clássico, também foi discreto nas comemorações. "O mais importante é o título do campeonato e nós sabemos que o Flamengo vai vir forte." Para o goleiro Fábio, autor de uma defesa incrível, num chute de Ramon, a vitória do Vasco foi construída pelo maior empenho de seu time. O meia Beto, que marcou seu primeiro gol no Carioca, disse que está dando "a volta por cima no Vasco". Ele esteve ausente de vários jogos na competição por estar contundido. "Vivo um novo momento especial na minha carreira." Beto destacou a "humildade" do Vasco para chegar ao título da Taça Rio. "A gente pensa em cada etapa, sem olhar muito para a frente.Agora, vamos nos concentrar no jogo com o XV-Novembro-RS." O meia Coutinho comentou que não teve a intenção de machucar Roger, no lance em que o meia do Tricolor foi atingido com um chute na cabeça e desmaiou em campo.Para o volante Ygor, o Vasco conseguiu superar o Fluminense na raça e na aplicação tática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.