Vasco e Americano ficam no empate

O Vasco não conseguiu superar o Americano, hoje em Campos, e não passou de um empate por 1 a 1. As duas equipes continuam na liderança da Taça Rio, ao lado do Fluminense, com 13 pontos. O Vasco, porém, tem um jogo a menos. O time de Romário reclamou da arbitragem de Edílson Soares da Silva, alegando que o juiz anulou equivocadamente gol de Viola, logo no início da partida, disputada no Estádio Godofredo Cruz. O presidente de honra do Americano dirige a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Fferj): trata-se de Eduardo Viana, o ?Caixa D?água?. O Americano começou o jogo atacando em bloco. O time atuava em velocidade, tentando surpreender o Vasco. Hélton foi obrigado a fazer boas defesas antes mesmo do primeiro gol do Americano, aos 18 minutos. O autor foi o lateral-esquerdo Wederson, em cobrança de falta. A bola ainda bateu na trave antes de cruzar a linha do gol. Hélton, com a visão encoberta, não teve culpa. Aos 26, Juninho Paulista, que não teve boa atuação, empatou em cobrança de falta ensaiada. Romário passou pela bola, desviando a atenção dos jogadores que formavam a barreira e do goleiro Brás. Juninho desperdiçaria nova oportunidade no final do primeiro tempo. Na segunda etapa, o Americano avançou os laterais e deu mais trabalho ao Vasco. Hélton teve de se desdobrar para evitar o pior à sua equipe. Destacou-se em chutes de Marcelo Carioca e Luciano Viana. No Vasco, Juninho, pouco inspirado, e Pedrinho, apático, não conseguiam criar jogadas para o complemento de Viola e Romário, uma dupla pouco eficiente no jogo. Romário, aliás, reclamou do individualismo de Viola e Juninho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.