Vasco e Flamengo empatam clássico pela Taça Rio

Time rubro-negro enfrentarão o Botafogo nas semifinais, enquanto vascaínos pegarão o Fluminense

Bruno Lousada , O Estado de S. Paulo

06 de abril de 2008 | 18h42

O clássico não valia nada em termos de classificação, mas até que sobrou emoção no empate por 2 a 2 entre Flamengo e Vasco, neste domingo, no Maracanã, pela última rodada da fase de grupos da Taça Rio. Com o resultado, os dois times ficaram na segunda colocação de suas chaves. Veja também: Fluminense goleia Madureira pela Taça Rio No próximo fim de semana, a equipe rubro-negra enfrenta o Botafogo, e o Vasco mede forças com o Fluminense pelas semifinais do segundo turno do Campeonato Carioca. Os dois duelos serão disputados no Maracanã. Já classificados para a semifinal da Taça Rio, Flamengo e Vasco fizeram ontem um treino de luxo. O técnico rubro-negro, Joel Santana, escalou o time com nove reservas e apenas dois titulares: os meias Kléberson e Marcinho. Ele poupou a equipe principal por conta do desafio de quarta-feira, contra o Cienciano, no Peru, crucial para o seguimento do clube na Taça Libertadores da América. Já o Vasco, sem compromisso no meio de semana, entrou em campo com Edmundo e comp Flamengo2Marcelo Lomba; Luizinho    , Thiago Salles, Rodrigo Arroz e Egídio; Airton     (Vinicius Pacheco), Jaílton, Kléberson e Marcinho    ; Maxi (Eder) e Diego Tardelli     (Paulo Sérgio)Técnico: Joel SantanaVasco2Tiago; Jorge Luiz    , Luizão e Eduardo; Wágner Diniz, Jonílson     (Souza), Leandro Bomfim, Calisto (Alex Teixeira) e Jean (Edu); Edmundo e Alan KardecTécnico: Antônio LopesGols: Marcinho, aos 10; e Rodrigo Arroz, aos 16 minutos do primeiro tempo. Alan Kardec, aos 22; e Jorge Luiz, aos 38 minutos do segundo tempoÁrbitro: Wagner dos Santos RosaPúblico: 16.760 pagantesEstádio: Maracanãanhia. Recém-contratado para dirigir a equipe cruzmaltina, Antônio Lopes só poupou o meia Morais, pendurado com dois cartões amarelos. Mas, quando a bola rolou, parecia que o Vasco havia escalado um time de suplentes, e o Flamengo entrara com sua força máxima. Com apenas 16 minutos, a equipe da Gávea já vencia por 2 a 0, gols de Marcinho e Rodrigo Arroz, e ditava o ritmo do jogo. Poderia até ter ampliado o marcador e garantido a vitória. Era melhor em campo e a zaga do Vasco ‘batia cabeça’. Qualquer bola aérea na defesa cruzmaltina era sinônimo de perigo. Coincidência ou não, assim que o volante Airton, que fazia boa partida, se machucou no segundo tempo e cedeu a vaga para Vinicius Pacheco, o Flamengo caiu de produção. Passou a marcar mal e a errar muitos passes. Mesmo aos trancos e barrancos, o Vasco ganhou fôlego, empatou a partida com gols de Alan Kardec e Jorge Luiz, e pôs pressão nos minutos finais. "A gente não pode levar 2 a 0 para ter vontade e disposição", reclamou Edmundo, após o apito final.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoVascoEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.