Vasco e Fluminense empatam em clássico eletrizante

Clube de São Januário abre dois gols de diferença, mas não segura vantagem e jogo termina em 3 a 3

Agência Estado,

24 de julho de 2008 | 00h53

Um clássico dos bons tempos. Em uma partida eletrizante, Vasco e Fluminense empataram por 3 a 3, nesta quarta-feira, depois que os cruzmaltinos chegaram a abrir 3 a 1 no placar. Com o resultado, o time tricolor ainda está na zona de rebaixamento, com 13 pontos e em 18.º lugar. Já o clube alvinegro cai para a 13.ª posição, com 16 pontos. Veja também: Classificação e resultados do Brasileirão da Série A   O Vasco assustou logo aos 13 minutos. Wágner Diniz deixou Leandro Amaral - enfrentando o Fluminense pela primeira vez depois de deixar o clube - debaixo da trave e sem goleiro. Ele conseguiu a façanha de perder um dos gols mais feitos da história do clássico. Edmundo reparou o erro do companheiro pouco depois. Morais lançou Mádson, que cruzou para o capitão cruzmaltino tocar por baixo de Ricardo Berna. O jogo era movimentado e nervoso, assim como o ritmo do Fluminense. Mas o único ponto de lucidez do time era o meia argentino Conca, sobrecarregado com a ausência de Thiago Neves, que foi para a seleção olímpica. O placar parcial foi adequado ao futebol apresentado. O segundo tempo começou em ritmo alucinante. Primeiro, logo aos oito minutos, Leandro Amaral se redimiu com um belo gol, arrancando do meio e passando pela defesa adversária. Mas na saída de bola, o Fluminense se recolocou na partida. Washington recebeu de Dodô, ganhou na força e tocou fraco, sobre o goleiro Tiago. E não parou por aí. Em contra-ataque rápido, Morais cruzou para Edmundo emendar belo chute de primeira, aos 14 minutos: 3 a 1 Vasco. Novamente em grande desvantagem, o Fluminense foi todo para o ataque. Renato colocou Somália no lugar do lateral Rafael. Aos 28 minutos, Conca lançou Dodô, que foi derrubado por Rodrigo Antônio na área. Washington aproveitou o pênalti e diminuiu. Com o Vasco já controlando o relógio, o Fluminense empatou. Somália brigou com dois adversários e rolou para Tartá tocar para o gol vazio, aos 36 minutos. Dodô ainda perderia a chance da vitória tricolor nos acréscimos, assim como Wágner Diniz, pelos vascaínos. Um jogo para ficar na lembrança dos torcedores.

Tudo o que sabemos sobre:
FluminenseVascoBrasileirão Série A

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.