Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br
Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Vasco enfrenta o América-MG para se afastar da degola e vencer a 1ª com Valentim

Cruzmaltino vem de derrota em casa por 3 a 0 na última rodada e precisa de recuperação

Estadão Conteúdo

06 Setembro 2018 | 07h38

Com o alerta ligado após duas derrotas seguidas, o Vasco busca se reabilitar diante de um adversário direto na briga contra o rebaixamento: o América Mineiro, rival desta quinta-feira, às 20 horas, no estádio Independência, pela 23.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O revés acachapante diante do Santos no último jogo no Maracanã, por 3 a 0, escancarou as deficiências da equipe carioca e aumentou a preocupação no clube com a possibilidade de amargar mais um rebaixamento.

O time cruzmaltino soma 24 pontos em 21 partidas - possui um jogo adiado por fazer contra o Santos - e tem apenas a 16ª campanha neste período pós-Copa do Mundo. A equipe mostra desequilíbrio em campo e carece de uma solidez na retaguarda, que já levou 32 gols, sendo a terceira pior defesa da competição.

O lateral-esquerdo Ramon reconheceu o momento incômodo pelo qual passa a equipe carioca e estipulou "no mínimo quatro pontos" como meta nos dois próximos jogos. Depois do América, o Vasco pega o Vitória, outro adversário que também briga na parte de baixo da tabela.

A chegada de bons resultados será fundamental para aliviar a pressão que já incomoda o recém-chegado técnico Alberto Valentim, que ainda não venceu no comando vascaíno - duas derrotas para Atlético-PR e Santos e nenhum gol marcado.

Para tentar mudar o quadro desfavorável, Valentim tem usado como estratégia o diálogo. O treinador, com pouco tempo para trabalhar, tem tido conversas individualizadas com cada jogador do elenco - até mesmo os machucados - e decretou um regime de concentração total que começou na noite do último domingo.

"Essa iniciativa é muito importante para que eu possa acelerar o processo de conhecimento dos atletas. Eu estarei mais perto deles, e eles vão ter a oportunidade de me conhecer melhor, assim também como a minha comissão técnica. Vai servir para que a gente esteja mais junto", disse o treinador, que intensificou os treinos no clube da Aeronáutica, na Barra da Tijuca.

O treinador não tem nenhum desfalque por suspensão, mas muitos por lesão, casos de Werley, Oswaldo Henríquez, Leandro Castán, Breno e Rildo. Ele deve alterar o time pois não ficou satisfeito com o que viu contra o Santos, embora não tenha confirmado a escalação.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.