Vasco joga mal, mas vence o Paraná e reage na Série B

Resultado mantém a equipe carioca na segunda colocação da tabela

Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteúdo

22 Outubro 2016 | 18h46

Depois de uma surpreendente derrota para o CRB, em casa, o Vasco entrou em campo pressionado neste sábado, vendo os rivais na briga pelo acesso se aproximarem perigosamente. Mas, apesar da fraca atuação, o time carioca se redimiu e venceu o Paraná por 1 a 0, no Kleber Andrade, em Cariacica (ES), pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O resultado manteve a equipe na vice-liderança da competição, agora com 57 pontos, um a menos do que o líder Atlético Goianiense, que ainda enfrenta o Criciúma neste sábado. Já o Paraná está em 15º lugar, com 36 pontos.

Pela 33ª rodada da Série B, na próxima quarta-feira, o Vasco receberá o Avaí em São Januário, em confronto direto pelas primeiras posições do campeonato. Já o Paraná encara o Bragantino na sexta-feira, em Curitiba.

O JOGO

Depois da sequência ruim de atuações, o técnico Jorginho fez algumas mudanças na equipe: entraram William e Júnior Dutra nos lugares, respectivamente, de Diguinho e Thalles. O volante Douglas, após defender a seleção brasileira sub-20, também retornou ao time titular. Alterações que pouco mudaram o desempenho da equipe.

Embora o Paraná vendera o mando e a partida tenha sido disputada em Cariacica, para onde o Vasco levou alguns de seus jogos durante a Olimpíada do Rio, a torcida do time carioca não compareceu. Em um estádio vazio, a equipe de Jorginho iniciou no mesmo ritmo dos jogos anteriores: com pouca criatividade ofensiva.

O Vasco até controlava as ações no meio-de-campo, mas não conseguia transformar a posse de bola em chances de gol. A primeira oportunidade veio apenas aos 25, quando Nenê cruzou e Douglas cabeceou firme, para boa defesa de Marcos.

O próprio volante desperdiçou pouco depois a principal chance do primeiro tempo. Após chute de Júnior Dutra, o goleiro espalmou e o vascaíno, com o gol aberto, finalizou mal. E, de fora da área, em chute rasteiro, Douglas quase abriu o placar novamente aos 35, mas a bola saiu raspando a trave.

O Paraná, por outro lado, também sem inspiração, pouco conseguia ameaçar o Vasco. Chegava principalmente em finalizações de fora da área, sem exigir grande trabalho de Martín Silva. Aos 42, em lance fortuito, o time carioca respondeu em rápida cobrança de escanteio, que Nenê tocou rasteiro para Éderson carregar e bater para fora. Foi só.

O ritmo da partida mudou no início do segundo tempo. Aos quatro minutos, após falha da zaga paranaense, Nenê dominou sozinho, carregou dentro da área e bateu fraco, facilitando a defesa de Marcos. E, logo no lance seguinte, William recuou errado e Lúcio Flavio saiu na frente de Martin Silva. O jogador, porém, tentou driblar e desperdiçou grande chance ao Paraná.

Não demorou muito para que a partida voltasse ao ritmo da primeira etapa. Jorginho, então, mudou a equipe vascaína - colocou Thalles no lugar de Júnior Dutra - e a alteração levou apenas seis minutos para surtir efeito: após cruzamento, Alisson Brand falhou e a bola sobrou para o atacante chutar rasteiro e abrir o placar.

Mesmo em desvantagem, o Paraná seguiu retraído, quase sem ultrapassar o meio-campo. O Vasco, satisfeito com o resultado, apenas administrou a vantagem e, embora sem qualquer brilho, deu um importante passo rumo à primeira divisão.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 0 x 1 VASCO

PARANÁ - Marcos; Diego Tavares, Alisson Brand, Pitty e Rafael Carioca; Leandro Silva, Anderson Uchoa (Guilherme Queiroz), Cristian (Murilo Rangel) e Nadson; Lúcio Flávio (Fernandes) e Fernando Karanga. Técnico: Roberto Fernandes.

VASCO - Martin Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Douglas, William (Julio dos Santos), Andrezinho e Nenê; Júnior Dutra (Thalles) e Éderson (Jorge Henrique). Técnico: Jorginho.

GOL - Thalles, aos 19 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Fernando Karanga e Lúcio Flávio (Paraná); Luan, Rodrigo e Thalles (Vasco)

RENDA - R$ 63.600.

PÚBLICO - 1.307 pagantes (2.378 presentes).

ÁRBITRO - Marielson Alves Silva (BA).

LOCAL - Estádio Kleber Andrade, em Cariacica (ES).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.