Vasco não admite nem empatar

O Vasco é a equipe que mais sofre gols noCampeonato Brasileiro - levou 44 em 17 rodadas. Por outro lado,o Figueirense tem o ataque menos eficiente - fez apenas 18 gols.Ambos, porém, mostram sintonia quando o assunto refere-se àtabela de classificação: estão na zona de rebaixamento. Por isso os dois times precisam somar três pontos no jogo deste domingo,às 16 horas, em São Januário. Um empate será considerado um péssimo resultado. "Emcasa, o Vasco não pode pensar em outra coisa a não ser vencer",declarou o lateral-esquerdo Diego, que, assim como os outrosjogadores, não sabem explicar a razão pela qual a equipe sofretantos gols, muito deles em lances infantis. "É preciso termais atenção", disse, policiando-se para não criticar umcompanheiro. O técnico Renato Gaúcho acha que o problema não serácorrigido de uma hora para outra. "Só com muito treino, na baseda repetição de exercícios", destacou. Mas, pela falta de tempo disse que vai apelar para a conversa, quando certamente chamaráa atenção de todos. Otimista, o treinador espera que o setor defensivo tenhauma boa atuação. A ausência do atacante Edmundo, ídolo datorcida cruzmaltina e que veste agora a camisa do Figueirense,soou como alívio - o jogador se recupera de contusão. "Gostomuito dele como pessoa e como profissional. Fico triste por elenão poder jogar, mas feliz por não nos enfrentar", afirmouRenato Gaúcho, sem querer desmerecer seu substituto. "OFigueirense vive uma fase semelhante à do Vasco e, com certeza,quem entrar vai mostrar serviço". O ataque formado por Romário e Alex Dias é o ponto altodo Vasco e, pelo desempenho nas últimas rodadas, vai infernizara zaga adversária. "O Romário é craque e o Alex Dias não ficapor menos", disse Renato Gaúcho, ciente de que este é o únicosetor que não lhe dá dor de cabeça. Pelo contrário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.