Vasco pede reforço à PM para domingo

O jogo de domingo entre Vasco e Atlético-PR tem importância especial para as duas equipes. O clube paranaense pode sair de São Januário campeão, se vencer a partida e o Santos não superar o São Caetano. Enquanto a equipe carioca ficará mais próxima do risco de rebaixamento caso não conquiste os três pontos. Por causa desse clima de decisão, a diretoria do Vasco tomou providências para evitar incidentes no estádio. O presidente Eurico Miranda entrou em contato com o comando do Grupamento Especial de Policiamento nos Estádios (Gepe), a fim de pedir reforço para o dia da partida. Foi prontamente atendido. Cerca de 200 policiais militares vão atuar dentro e fora de São Januário. Além dessa medida, o Vasco já acertou a contratação de 100 seguranças particulares para evitar transtornos como os que ocorreram no Brasileiro de 2003, após um jogo contra o Coritiba, em São Januário. Na ocasião, integrantes de uma torcida organizada do Vasco invadiram o ônibus da delegação adversária e agrediram os atletas da equipe visitante. A presença da torcida promete ser maciça. A diretoria vascaína anunciou hoje uma promoção para atrair os torcedores, que há tempos não lotam São Januário. Quem for ao estádio com a camisa do Vasco pagará apenas R$ 2 pelo ingresso de arquibancada. No total, 15 mil ingressos foram postos à venda: 9 mil são de arquibancada, 5 mil de cadeiras sociais e mil vão ser destinados ao Atlético-PR. Em meio à lei do silêncio imposta em São Januário pelo presidente Eurico Miranda, medida que proíbe os jogadores de concederem entrevistas até segunda ordem, o goleiro Fábio, que retirou ação contra o clube na Justiça do Trabalho, se reapresentou hoje pela manhã na sede da agremiação e, surpreendentemente, desobedeceu a ordem do dirigente. "Voltar ao Vasco não foi uma coisa impensada. Fui expressar minhas vontades na justiça e o clube tinha que fazer o mesmo. Apenas isso. Não tinha propostas em mãos", declarou Fábio. "Acho que foi a melhor decisão para mim e para o Vasco e espero que para o torcedor também". O goleiro fez exames médicos hoje pela manhã, mas na parte da tarde faltou ao treino porque seu carro teve problemas mecânicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.