Vasco perda para América e se complica na Sul-Americana

Equipe carioca mais uma vez joga mal fora de casa e sai da Cidade do México derrotada por 2 a 0

Bruno Lousada, Estadão

11 de outubro de 2007 | 00h15

O Vasco complicou sua situação na Copa Sul-Americana, na noite desta quarta-feira. A 2.235 metros de altitude da Cidade do México, a equipe carioca não encontrou fôlego para superar o América, que estreou o técnico argentino Daniel Brailovsky. Perdeu por 2 a 0, no Estádio Azteca, na partida de ida pelas quartas-de-final do torneio. Com o resultado, a equipe carioca terá de vencer o jogo de volta, dia 24, em São Januário, por três gols de diferença para avançar na competição. Veja Também: Calendário / Resultados  O árbitro uruguaio Martin Vazquez roubou a cena nos 45 minutos iniciais. Ele deixou de marcar um pênalti claro para cada equipe. Não viu uma falta escandalosa de Rodrigues em Leandro Amaral na área do América. Lance típico de expulsão. Logo depois, ignorou empurrão de Roberto Lopes em Fernandez na área do time carioca.América do México2Ochoa; Rodriguez    , Ricardo Rojas    , Davino     e Villa; Oscar Rojas, Arguello, Mosqueda e Castroman; Rodrigo López e Fernandez (Esqueda)Técnico: Daniel BrailovskiVasco0Sílvio Luiz; Jorge Luiz    , Julio Santos     e Vilson    ; Wagner Diniz, Amaral, Roberto Lopes (Perdigão), Conca (Enilton) e Rubens Júnior; Leandro Amaral     e Alan Kardec (Andrade)Técnico: Celso RothGols: Davino, aos 6, e López, aos 32 minutos do segundo tempoÁrbitro: Martin Vazquez (URU)Renda: Não disponívelPúblico: Não disponívelEstádio: Azteca "Se jogar, o Vasco consegue ganhar", declarou o lateral-esquerdo Rubens Júnior, no intervalo. O jogador não exagerou em sua análise. O time carioca parecia contente com o empate, mesmo diante de um rival bem limitado tecnicamente. O América, mais na base do abafa, chegou com mais perigo e mereceu vencer. Davino fez 1 a 0, de cabeça, aos 6 minutos do segundo tempo. O Vasco sentiu o golpe. O zagueiro Julio Santos perdeu a cabeça e agrediu Fernandez. Recebeu cartão vermelho. A 2.235 metros de altitude da Cidade do México e com um jogador a menos desde o começo da etapa final, o time carioca perdeu o fôlego e a partida. E ainda viu López fechar o placar: 2 a 0, aos 32 minutos. Após receber livre na área, o atacante apenas concluiu para ampliar a vantagem dos mexicanos. "O time recuou muito e deu espaço", reclamou Leandro Amaral. Quem avançar nessa disputa enfrentará o vencedor do duelo entre Arsenal, da Argentina, e Chivas, do México.

Tudo o que sabemos sobre:
Vasco da GamaCopa Sul-Americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.