Marcelo Sadio/Divulgação
Marcelo Sadio/Divulgação

Vasco perde de virada da Cabofriense em São Januário

No fim da partida, torcida vaia os jogadores e o técnico Adilson Batista

Sílvio Barsetti, Agência Estado

23 de fevereiro de 2014 | 20h46

RIO - O Vasco tropeçou em casa e perdeu para a Cabofriense por 2 a 1, neste domingo, em São Januário. Manteve-se em quarto lugar no Campeonato Carioca, mas ficou distante dos três primeiros - Flamengo, Fluminense e o próprio time da Região dos Lagos. A equipe jogou mal, embora tenha acertado três vezes a trave do adversário. Com a vitória do Botafogo sobre o Fluminense, o Vasco se vê agora ameaçado na luta por uma vaga na semifinal da competição.

O time de Adilson Batista tomou a iniciativa do jogo e, logo no primeiro ataque, Douglas cabeceou a bola na trave. A torcida se animou. Aos 15 minutos, depois de criar outras chances, Edmílson aproveitou cruzamento de André Rocha e abriu o placar. A impressão era que os donos da casa continuariam dominando a partida.

Mas nem houve tempo para comemorações. Em 12 minutos, a Cabofriense virou o jogo. Primeiro, com Pará, após uma falha do zagueiro Jomar. E depois com Fabrício Carvalho, em outro lance que contou com a colaboração do defensor do Vasco.

Aturdida, a equipe de São Januário se descontrolou e não conseguiu reagir. A Cabofriense passou a levar mais perigo nos contra-ataques.

Até a metade do segundo tempo, o técnico Adilson Batista já tinha feito as três substituições possíveis. Tornou o time bastante ofensivo, com a entrada de Bernardo, William Barbio e Thalles. Ao mesmo tempo, deixou a defesa mais vulnerável.

Na base do "abafa", com bolas alçadas sobre a área, o Vasco tentou o empate. E a trave voltou a salvar a Cabofriense em outra finalização de cabeça, de Luan. Antes, Fellipe Bastos também já tinha acertado a trave dos visitantes numa cobrança de falta.

A afobação da equipe não deu resultado e a torcida não perdoou jogadores e Adilson Batista. Deixaram o gramado sob vaias.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 1 x 2 CABOFRIENSE

VASCO - Martín Silva; André Rocha, Luan, Jomar e Diego Renan; Guiñazu, Aranda (William Barbio), Fellipe Bastos e Douglas (Bernardo); Montoya (Thalles) e Edmílson. Técnico: Adilson Batista.

CABOFRIENSE - Luis Cetin; Filipi (Arthur), Luizão, Victor Silva e Leandro; Jardel, Pará (Silvano), Daniel e Éberson; Bruno Veiga (Keninha) e Fabrício Carvalho. Técnico: Alexandre Barroso.

GOLS - Edmílson, aos 15, Pará, aos 18, e Fabrício Carvalho, aos 27 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Pará, Jomar, Luan e Éberson.

ÁRBITRO - Wagner do Nascimento Magalhães.

RENDA - R$ 108.660,00.

PÚBLICO - 6.114 pagantes.

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.