Fernando Remor/Mafalda Press
Fernando Remor/Mafalda Press

Vasco perde do Criciúma, cai para 4º e decidirá acesso na rodada final da Série B

Equipe cruzmaltina fica com 62 pontos e vê aproximação do quinto colocado Náutico, com 60

Itamar Cardin, especial para a AE, Estadão Conteúdo

19 de novembro de 2016 | 18h46

A tempestade segue atormentando a nau vascaína na Série B neste sábado. Pela 37ª rodada da competição, em partida dramática disputada no estádio Heriberto Hülse, o Vasco jogou mal, foi derrotado pelo Criciúma por 1 a 0, e não confirmou o acesso à primeira divisão.

O resultado fez o Vasco se manter com 62 pontos, caindo da vice-liderança para o quarto lugar, e chegando muito pressionado na última rodada. Corre, inclusive, sério risco de se manter na Série B, já que o Náutico, com 60 pontos, atuará em casa diante do Oeste e também com chance de subir à elite. Já o Criciúma foi a 53 pontos e está no meio da tabela.

Na última rodada da competição, naquela que será sua mais importante partida do ano, o Vasco recebe o Ceará no próximo sábado, em São Januário, às 17h30. Já o Criciúma, sem qualquer pretensão na tabela, encara o Paysandu na sexta, às 20h30.

O JOGO

Para garantir o acesso sem depender de outros resultados, o Vasco precisava apenas de uma vitória. O técnico Jorginho, assim, não poupou esforços: recém-recuperados de lesão, Luan e Andrezinho foram escalados. Com força máxima em campo, o time carioca reforçou o meio-campo, com apenas Thalles atuando no ataque.

Mesmo com a escalação defensiva, precavido para não ser surpreendido, o Vasco quase abriu o placar aos cinco minutos. Com precisão, da entrada da área, Andrezinho cobrou falta e acertou a trave. E, apenas quatro minutos depois, praticamente da mesma posição, o meia bateu no ângulo - dessa vez com a bola rolando - e Luiz fez boa defesa.

O domínio vascaíno, contudo, aos poucos, foi esmaecendo. O meio-campo reforçado pouco criava. Mesmo sem grande poder ofensivo, o Criciúma controlava o jogo e dominava a posse de bola. A primeira chance veio após erro de Diguinho, aos 15, quando Roberto driblou dois marcadores e chutou rasteiro. Martín Silva salvou com uma bela defesa.

E o primeiro tempo assim seguiu. O Vasco, cauteloso, embora precisasse da vitória, não conseguia sequer trocar passes - a equipe só finalizou novamente aos 33, em cabeceada sem perigo de Madson. Já o Criciúma até rodava a bola, mas não criava qualquer jogada objetiva. Seu grande momento veio em chute de Roberto que desviou no braço de Rodrigo. Para o desespero da torcida local, o árbitro Leandro Pedro Vuaden nada marcou.

Somente nos minutos finais as duas equipes aceleraram o ritmo. Aos 42, sozinho, Ianson cabeceou firme e Martín Silva fez outra boa defesa. E, já nos acréscimos, após cruzamento rasteiro de Douglas, o atacante Thalles recebeu dentro da área, sem marcação, mas chutou sem força e no meio do gol. Sem dificuldade, Luiz defendeu.

Embora a falta de poder ofensivo do Vasco fosse evidente no primeiro tempo, Jorginho optou por Yago Pikachu - no lugar de Bruno Gallo - para a etapa final. Alteração que pouco mudou o panorama do time carioca. E a situação, que já era dramática, ficou ainda pior aos cinco minutos, quando Diguinho derrubou Roberto dentro da área. O próprio atacante bateu o pênalti com tranquilidade e abriu o placar.

O desespero estava estampado na desorganização tática vascaína. Afobado, o time sofria para criar. Éderson ainda foi a campo para aumentar a força ofensiva. Mas, para dificultar a situação, o próprio atacante sentiu uma lesão três minutos depois e deixou o gramado aos prantos. Júnior Dutra entrou em seu lugar.

O jogo, então, ficou aberto. O Vasco se lançou totalmente ao ataque - e criou duas boas oportunidades em finalizações de Nenê, uma delas em cobrança de falta -, mas abriu espaço para os contragolpes. Aos 29, Thalles teve grande chance: após receber passe na entrada da área, bateu colocado e com classe, no ângulo, mas a bola saiu por pouco.

Rodrigo ainda acertou cabeçada no travessão pouco depois, mas o Vasco esbarrou no próprio nervosismo e ainda viu Roberto desperdiçar pênalti no último minuto - para completar, Luan foi expulso no lance. A dramática situação do time carioca, assim, se prolongou até a última rodada da Série B.

FICHA TÉCNICA

CRICIÚMA 1 x 0 VASCO

CRICIÚMA - Luiz; Raphael Silva, Nathan e Ianson; Ricardinho, Barreto, Douglas Moreira, Caíque (João Afonso) e Marlon (Clayton); Roberto e Jheimy (Bruno Baio). Técnico: Roberto Cavalo.

VASCO - Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar (Éderson, depois Júnior Dutra); Diguinho, Bruno Gallo (Yago Pikachu), Douglas, Nenê e Andrezinho; Thalles. Técnico: Jorginho.

GOL - Roberto, de pênalti, aos sete minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Douglas Moreira, Barreto, Ianson, Jheimy e Luiz (Criciúma); Julio Cesar, Bruno Gallo, Andrezinho, Luan, Júnior Dutra e Yago Pikachu (Vasco).

CARTÃO VERMELHO - Luan.

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (FIFA/RS).

LOCAL - Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.