Marcelo Sadio/Divulgação
Marcelo Sadio/Divulgação

Vasco perde do Goiás e segue na zona de rebaixamento

Sob chuva, time foi derrotado em casa por 2 a 0 na 29.ª rodada do Brasileirão

Leonardo Maia, Agência Estado

17 de outubro de 2013 | 21h45

RIO - A torcida do Vasco atendeu o chamado, ciente de que o momento pede união, apoio e fidelidade. Um bom público enfrentou a chuva intensa e encheu o acanhado estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ), para incentivar seu time, erguê-lo nos ombros e ajudá-lo a conquistar uma vitória sobre a boa equipe do Goiás que resgatasse os anfitriões da zona de rebaixamento. Mas o que tem de brios o clube cruzmaltino tem de deficiências, que resultaram na derrota por 2 a 0, pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 32 pontos e na 18.ª colocação, o ambiente no clube, que já está agitado por questões políticas que exploram a fragilidade do momento no Brasileirão, promete ferver nos próximos dias, que antecedem o clássico contra o Botafogo, neste domingo, no Maracanã. Aos esmeraldinos, na quinta colocação com 43 pontos, está reservado um confronto direto pela vaga na Copa Libertadores contra o Atlético Paranaense, em Goiânia, no mesmo dia. "Está faltando sorte. Estamos tentando muito e a bola não entra. Tivemos o apoio da torcida e perdemos, isso que chateia mais. Temos um clássico pela frente e vamos ver se conseguimos a vitória", disse o zagueiro vascaíno Jomar.

O primeiro tempo foi disputado com a intensidade de um time que luta para fugir da degola e outro que almeja chegar à Libertadores. Boas chances de lado a lado marcaram os 45 minutos iniciais, mas o Goiás foi dono das melhores delas. Nem a volta de Juninho Pernambucano deu poder ofensivo ao Vasco. A turma comandada por Enderson Moreira sabe de suas capacidades e o que fazer delas, jogando com calma e disciplina.

Pelo lado esquerdo da defesa vascaína, Walter, Roni, Eduardo Sasha e outros perderam boas chances. O gol que ajustou o predomínio visitante veio na bola parada. David alçou na área e o zagueiro Rodrigo desviou no primeiro poste para abrir o marcador, aos 37 minutos.

O técnico Dorival Júnior tentou recompor o Vasco com a entrada do veterano volante Sandro Silva no lugar do jovem volante Jhon Cley. Menos sustos atrás, menos emoção na frente. Com o decorrer dos minutos, lançou Montoya, que fez pelo menos uma jogada de categoria, salva com a ponta dos dedos por Renan.

Mas àquela altura o Goiás já vencia por 2 a 0, sempre levando perigo nos contra-ataques. Walter recebeu pela esquerda, cruzou para Welinton Júnior escorar de cabeça e Hugo desviou para as redes, aos 23 minutos.

A reação vascaína jamais chegou a se concretizar pelas boas intervenções de Renan, notadamente na finalização de Montoya. O drama em São Januário se avoluma, agravado pela falta de perspectiva de melhora. Se quiser escapar de um segundo rebaixamento em cinco anos, o Vasco vai ter que contar com o apoio dedicado de seus torcedores e com a força de sua camisa. Ajuda externa dificilmente virá.

FICHA TÉCNICA

VASCO 0 x 2 GOIÁS

VASCO - Diogo Silva; Fagner, Jomar, Cris e Henrique; Fillipe Soutto (Montoya), Pedro Ken, Juninho Pernambucano (Reginaldo) e Jhon Cley (Sandro Silva); Marlone e André. Técnico: Dorival Júnior.

GOIÁS - Renan; Vitor, Ernando, Rodrigo e William Matheus; Amaral, David, Eduardo Sasha (Welinton Júnior), Hugo (Ramon) e Roni (Thiago Mendes); Walter. Técnico: Enderson Moreira.

GOLS - Rodrigo, aos 37 minutos do primeiro tempo; Hugo, aos 23 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - André e Henrique (Vasco); David e Amaral (Goiás).

ÁRBITRO - Wilson Luiz Seneme (Fifa/SP).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 7.766 pagantes.

LOCAL - Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVascoGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.