Vasco pretende utilizar intertemporada 'como diamante' para desenvolver elenco

Cruzmaltino terá semanas apenas para treinar antes de estreia no Brasileirão

Estadão Conteúdo

26 de abril de 2017 | 18h46

Eliminado da Copa do Brasil e do Campeonato Carioca, o Vasco só volta a atuar no dia 14 de maio, quando enfrenta o Palmeiras em sua estreia no Campeonato Brasileiro, no estádio Allianz Parque, em São Paulo. A comissão técnica, porém, preferiu enxergar o lado positivo dessa "intertemporada".

Segundo Alex Evangelista, gerente científico do Vasco, o período será utilizado "como um diamante" para melhorar o desempenho do time. "Vamos utilizar essas três semanas da melhor maneira possível, como um diamante", comentou ao site do clube.

Para melhorar o desempenho, os jogadores foram submetidos nesta quarta-feira a uma série de testes no campo e na academia, com o objetivo de analisar a situação física de cada um. Após os resultados serem coletados, serão desenvolvidos treinamentos específicos para atender a necessidade individual dos atletas.

"Realizamos uma série de avaliações detalhadas, revirando cada atleta individualmente. Hoje (quarta-feira) foi um dia destinado somente para esse trabalho. Os resultados serão entregues para a preparação física, que juntamente com o técnico Milton Mendes, desenvolverá treinos específicos para cada jogador", acrescentou Alex Evangelista.

Já Flávio Trevisan, preparador físico do Vasco, explicou que os testes serão fundamentais para melhorar o rendimento do elenco. "Conseguiremos resultados da parte orgânica e muscular, como os níveis de potência, força e velocidade. Com os resultados, nós vamos prescrever diariamente os treinamentos. Quem já está mais equilibrado irá fazer um tipo de trabalho diferente dos que precisam se estabilizar. É fundamental trabalharmos dessa forma para trazer um equilíbrio total do grupo", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.