Vasco pronto para qualquer polêmica

O desempenho do Vasco neste domingo, contra o Santos, deve render muita polêmica para os próximos dias. Se o time carioca não atuar bem, pode deixar no ar suspeitas de que não tinha interesse na partida. Na hipótese de aplicação total, dificultando o caminho do favorito ao título do Campeonato Brasileiro, certamente vai suscitar dois comentários entre os torcedores: o de que simplesmente seus jogadores cumpriram com a obrigação ou então que estariam motivados por algum prêmio extra - esta semana, cada um recebeu R$ 1 mil do próprio Vasco pela vitória sobre o Atlético-PR, na última rodada.Essas dúvidas são o resultado final de uma semana agitada, que começou com desabafos do presidente do Vasco, Eurico Miranda, em que provocava dirigentes, seus desafetos, do vice-líder Atlético-PR, e terminou com a formalização de uma denúncia do vascaíno ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de que seu clube recebeu oferta de R$ 1 milhão para se empenhar mais do que o normal neste domingo, em São José do Rio Preto, a fim de atrapalhar ou mesmo impedir a conquista do Santos.Houve ainda outros capítulos envolvendo Eurico Miranda, Vasco e Santos desde domingo. Ainda em São Januário, festejando a vitória sobre o Atlético-PR, ele dizia que seu time levaria força máxima para o último jogo. Instantes depois, mudou de idéia. Na segunda-feira, voltou a falar do assunto sem ser claro. Numa entrevista à Rádio Globo de São Paulo, na terça-feira, afirmou que o Vasco não atuaria com seus principais atletas. No dia seguinte, voltou atrás mais uma vez. Nesse vaivém de especulações, parece ter prevalecido o espírito esportivo.Até o técnico Joel Santana se rendeu à idéia de que ficaria ruim para a imagem do Vasco escalar um time misto a fim de representar o clube na partida que pode decidir o título do Brasileiro. Apesar da trajetória vitoriosa no futebol, Joel se deixou influenciar pelas palavras iniciais de Eurico e comentou que a armação do time atenderia a vontade do dirigente. Depois, evitou declarações sobre o tema e tratou de continuar treinando a equipe com os melhores, entre os quais o meia Petkovic, confirmado para o jogo.A opção do Santos por levar a campo Robinho deixou Joel intrigado. Ele apostava que o atleta não teria condições psicológicas de atuar, por conta do drama de 41 dias do seqüestro de sua mãe.Na noite de sexta-feira, já não confirmava se o Vasco jogaria com três zagueiros e se os laterais teriam liberdade para atacar. A tendência é que o esquema seja o 3-6-1, com Marco Brito no ataque, substitutindo Anderson.A equipe carioca segue em vôo fretado para São José do Rio Preto às 12h30 deste domingo. Nem mesmo a chegada de uma frente fria no Rio mudou os planos da diretoria do clube, que desconsidera a possibilidade de falta de teto para decolagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.