Vasco quer continuar em ascensão

Os vascaínos deixaram para trás a lembrança de que Renato Gaúcho destacou-se como jogador dos rivais Flamengo e Fluminense e atualmente o idolatram. Ele é, ao lado de Romário e Alex Dias, o astro da equipe cruzmaltina, que neste domingo enfrenta o São Paulo, às 16 horas, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro.Renato Gaúcho é um autêntico "boleirão" e se orgulha disso. Fala a linguagem do jogador e não tenta escolher as palavras mais rebuscadas para se expressar. Tampouco usa terno ou roupa social durante as partidas. Veste o uniforme do clube. Carrega dos gramados, do tempo de atleta, o jeito simples de ser.Não é um técnico linha-dura, mas valoriza a disciplina. Tudo dentro de um limite, costuma dizer. A fama de notívago ficou no passado. Aconselha os jogadores a se cuidarem dentro e fora de campo. Lembra-os que a carreira é curta e as oportunidades num clube grande não aparecem toda hora.É adepto do diálogo, não da advertência pública. Mas, se for necessário, usa o vestiário para distribuir broncas. O estilo de Renato Gaúcho, em tão pouco tempo, criou uma legião de fãs. O elenco o adora e tenta cumprir suas recomendações táticas.O clima em São Januário é de calmaria e de alegria, bem diferente da época de Dário Lourenço, demitido na 12.ª rodada do Brasileiro. Renato Gaúcho pegou um grupo com moral baixa, quase humilhado por todos. A primeira providência foi trabalhar o lado psicológico dos atletas. "Confiança é fundamental no futebol".O resultado veio à tona rapidamente. O Vasco reagiu, fugiu da zona de rebaixamento e hoje pode se dar ao luxo de sonhar com uma vaga na Copa Sul-Americana ? classificam-se os times posicionados entre o 5.º e o 11.º lugar. "A equipe tem tudo para decolar", aposta Renato Gaúcho, que, em 13 confrontos no comando do clube, obteve sete vitórias e dois empates.Enfrentar o São Paulo, no Morumbi, é algo que tira um pouco o sono do treinador. "É uma equipe fortíssima e que, desde o início do Brasileiro, sempre esteve entre os favoritas para conquistar o título. Não é à toa que foi campeã da Libertadores. Merece respeito e cuidado", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.