RAFAEL RIBEIRO/VASCO DA GAMA
RAFAEL RIBEIRO/VASCO DA GAMA

Vasco decide sobre SAF neste domingo após 'guerra' na Justiça; entenda o que está em jogo

Sócios fazem votação neste fim de semana para aprovar ou não a venda de 70% da Sociedade Anônima do Futebol para a 777 Partners

Redação, Estadão Conteúdo

05 de agosto de 2022 | 13h24
Atualizado 05 de agosto de 2022 | 14h41

Se dentro de campo o Vasco ocupa a vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, fora dos gramados a realidade tem sido marcada por dúvidas, idas e vindas e instabilidade sobre o futuro do time. Uma "guerra" de liminares tem ocupado a atenção dos torcedores em meio à decisão sobre a possível transformação do clube em Sociedade Anônima do Futebol (SAF).

Ao menos até o momento, essa indefinição será encerrada no próximo domingo, dia 7. Trata-se do dia marcado para a aguardada realização da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) em que os sócios vão decidir se aprovam ou não a venda de 70% da SAF para a 777 Partners. A mudança, se aprovada, trará diversas consequências para a estrutura do clube, como já aconteceu com o Cruzeiro, por exemplo.

A decisão caberá aos 6.385 sócios aptos a participar da AGE. A votação será definida por maioria simples, com 50% mais um dos votos. Segundo o clube, os eleitores vão apresentar sua definição por voto online ou físico, na Sede do Calabouço. Se a venda for aprovada, a 777 Partners assume o comando do futebol do Vasco já na segunda-feira, dia 8.

Até domingo, no entanto, muitos capítulos desta história ainda poderão se desenrolar. Isso porque as últimas semanas têm sido de reviravoltas em torno da AGE. Foram diversas decisões judiciais, de âmbitos diferentes. A última delas gerou até um comunicado curioso emitido pela diretoria atual do clube, na semana passada.

No mesmo comunicado, o Vasco revelou uma decisão liminar que não teria interferência sobre sua decisão anterior. "Posteriormente, o Clube foi intimado de decisão liminar de 1ª instância, proferida no plantão noturno, que suspendeu os efeitos das deliberações tomadas na data de ontem pelo Conselho Deliberativo", completou. "Ressalte-se que a decisão acima referida contraria decisão de 2ª instância proferida pelo juiz natural da causa, da qual o Clube tomou ciência na data de hoje, e que indeferiu pedido de suspensão da reunião do Conselho Deliberativo de 27/07/2022."

A maior contestação é sobre os contratos a serem assinados entre Vasco e a 777 Partners. Sócios acionaram a Justiça para pedir a abertura dos documentos para conhecimento de todos os eleitores aptos. Houve denúncia, não comprovada, de que sócios já mortos teriam "votado" na AGE anterior, realizada em abril.

Mas a maior ameaça à assembleia agendada para domingo vem da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A Comissão de Direitos do Consumidor da Alerj entrou com duas ações na Justiça para pedir a abertura dos contratos e a paralisação do processo de aprovação da SAF. O caso já está na segunda instância.

Vasco volta a campo contra a Ponte Preta, na terça-feira

O Vasco ainda não tem um substituto para o técnico Maurício Souza, demitido há duas semanas. O interino Emílio Faro ocupa o cargo temporariamente e já declarou que não tem vontade de seguir de forma definitiva na função. Nesta sexta-feira, o clube apresentou o centroavante Fábio Gomes, emprestado pelo Atlético-MG, e anunciou a chegada de Bruno Tubarão, cedido pelo Red Bull Bragantino, para o setor. Já havia repatriado Alex Teixeira nesta janela de transferências, que fez sua estreia na última rodada.

O Vasco vai até Campinas na terça-feira para enfrentar a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, às 20h30, pela 23ª rodada da Série B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.