Divulgação/Paraná Clube
Divulgação/Paraná Clube

Vasco só empata com o Paraná, mas fica fora da zona de rebaixamento

Equipe paranaense se afunda na zona de rebaixamento enquanto cariocas começam a respirar

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2018 | 22h06

O Vasco deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro na conclusão da 27ª rodada, mas não da forma como desejava. Nesta segunda-feira, no Durival de Britto, em uma partida de muita luta, erros e chances perdidas, o time apenas empatou por 1 a 1 com o lanterna Paraná e terminou o duelo com apenas dez jogadores em campo por causa da expulsão de Leandro Castán no começo da etapa final.

A igualdade levou o Vasco aos 30 pontos, na 16ª posição, com um de vantagem para o Vitória, que agora figura na zona de rebaixamento. O time carioca está há quatro jogos invictos no Brasileirão, mas empatou em três desses compromissos, todos por 1 a 1.

Já o Paraná não vence pelo Nacional desde 22 de julho, sendo que o seu jejum chegou ao 13º compromisso. Assim, está cada vez mais próximo do rebaixamento, na lanterna do Brasileirão, com 17 pontos e a 13 do Vasco.

Na 28ª rodada do Brasileirão, os times voltarão a jogar apenas na próxima semana. Na segunda-feira, o Paraná vai visitar o Fluminense no Maracanã. Já no dia seguinte, no Engenhão, o Vasco disputará clássico com o Botafogo.

O JOGO - A tentativa do Vasco de aproveitar a fragilidade do Paraná para voltar a vencer no Brasileirão sofreu um revés logo na primeira ação ofensiva perigosa do adversário. Aos oito minutos, o pior ataque do Brasileirão marcou pela 12ª vez em 27 jogo ao contar com a sorte. Alex Santana arriscou de longe, a bola desviou em Leandro Castán e impediu qualquer ação de Martín Silva.

O gol forçou o Vasco que teve Giovanni Augusto, Bruno Cosendey e Rafael Galhardo como novidades, a se reorganizar. O time, porém, exibia nervosismo e pouco acionava Giovanni Augusto, escalado por Alberto Valentim para ser o principal responsável pela criação das jogadas. E passou a fazer um jogo franco com o Paraná, com muitos erros técnicos, mas também de várias oportunidades.

O Vasco cresceu na partida quando passou a acionar Maxi López na grande área. O argentino fazia jogadas típicas de pivô e conseguia vencer os duelos com os seus marcadores, criando várias chances de gol. Só que aí o time falhava nas finalizações. Foi assim em um chute de Giovanni Augusto que parou em Richard e também em chute do próprio Maxi que foi para fora.

Mas quando tudo indicava que o Paraná iria ao intervalo em vantagem, o Vasco arrancou o empate. Aos 49, o argentino converteu pênalti sofrido por Ramon no minuto anterior ao ser derrubado por Deivid.

Com a necessidade de vitória, Valentim abriu o Vasco na etapa final ao colocar o atacante Kelvin em campo e recuar Yago Pikachu para a lateral. Só que não deu certo. E não só porque o Paraná aproveitou os espaços para criar chances de gol, mas também em função da expulsão de Leandro Castán, que era o último jogador vascaíno antes do goleiro Martín Silva e derrubou Ortigoza aos 11 minutos.

A partir daí, o Vasco recuou e passou a se defender com algum sucesso contra o Paraná. E após os 25 minutos, se aproveitando das fragilidades e do nervosismo do adversário, passou a ser perigoso apostando na velocidade de Kelvin pela ponta direita. Não conseguiu e ainda desperdiçou uma sequência de chances em um mesmo lance, aos 45 minutos, com Oswaldo Henríquez e Giovanni Augusto.

FICHA TÉCNICA:

PARANA 1 x 1 VASCO

PARANÁ - Richard; Leandro Vilela, Charles, Jesiel e Mansur; Torito González (Caio Henrique), Alex Santana e Juninho (Carlos); Deivid (Rafael Grampola), Silvinho e Ortigoza. Técnico: Claudinei Oliveira.

VASCO - Martín Silva; Rafael Galhardo (Kelvin), Leandro Castán, Luiz Gustavo e Ramon; Willian Maranhão, Bruno Cosendey (Thiago Galhardo), Yago Pikachu, Giovanni Augusto e Andrés Ríos (Oswaldo Henríquez); Maxi López. Técnico: Alberto Valentim.

GOLS - Alex Santana, aos oito, e Maxi López, aos 49 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues de Souza (SP).

CARTÃO AMARELO - Carlos.

CARTÃO VERMELHO - Leandro Castán.

RENDA - R$ 100.535,00.

PÚBLICO - 3.210 pagantes (3.894 presentes).

LOCAL - Estádio Durival de Britto, em Curitiba (PR).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.