Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Vasco supera Boavista em São Januário e ganha a 1ª na Taça Rio

Com vitória por 2 a 0, cruzmaltino chega aos quatro pontos no segundo turno do Carioca

Redação, Estadão Conteúdo

02 de março de 2019 | 18h58

Campeão da Taça Guanabara e, portanto, com vaga garantida nas semifinais do Campeonato Carioca, o Vasco conquistou sua primeira vitória na Taça Rio, neste sábado. Jogando em casa, em São Januário, derrotou o Boavista por 2 a 0, pela segunda rodada do segundo turno do Estadual. O Vasco divide agora a liderança do Grupo B com o Fluminense, ambos com quatro pontos. O Boavista é o lanterna do Grupo C, com apenas um ponto.

Após o empate inicial por 1 a 1 no clássico com o Botafogo, o Vasco corria atrás de sua primeira vitória. E propôs o jogo desde o início, buscando o ataque, mas também dando espaços para os contra-ataques do adversário. Aos poucos, porém, a qualidade técnica vascaína prevaleceu e se transformou em maior volume de jogo.

Em meio ao domínio do anfitrião, um lance polêmico movimentou a etapa inicial: um pênalti marcado, mas depois revisto pelo árbitro João Batista de Arruda. Aos 25, após cruzamento de Thiago Galhardo, a bola tocou no pé de um defensor, mas o juiz anotou a penalidade. Imediatamente muitos jogadores do Boavista reclamaram e Arruda consultou seus assistentes.

E o auxiliar Bruno Mota confirmou que o toque foi mesmo no pé do zagueiro. O árbitro, de forma correta, anulou o pênalti.

Mas o volume de jogo vascaíno era maior e o gols seriam apenas uma questão de tempo. O gol saiu aos 33 minutos. Bruno César cobrou falta em curva na frente da área e o goleiro Guilherme rebateu nos pés de Marrony que completou cruzado. Foi o quinto gol dele na competição.

O segundo tempo começou aberto. Aos 5, o Vasco ameaçou num chute cruzado de Ribamar, que passou rente à trave esquerda. Em seguida, Fernando Miguel espalmou chute de longe de Ralph. Mas o Vasco tinha Bruno César armando as jogadas para um veloz trio de atacantes. Desta forma saiu o segundo gol. Após passe de Bruno César, o atacante Rossi invadiu a área e tocou por cobertura na saída do goleiro Guilherme.

O técnico do Boavista, Eduardo Allax, sacou o volante Ralph, machucado, para a entrada do experiente atacante Leandrão. O Vasco trocou na frente: saiu Marrony para a entrada de Tiago Reis, artilheiro vascaíno na Copa São Paulo de Junior, com nove gols. Era sua primeira chance no time principal. Depois entrou o garoto Lucas Santos na vaga de Ribamar.

Nos últimos minutos, ainda deu tempo de Tiago Reis ter uma chance ao entrar na área pelo lado direito e chutar nas mãos de Guilherme. E, nos acréscimos, numa disputa de bola Mosquito entrou firme sobre Cárceres e acabou expulso, deixando o visitante com um jogador a menos.

O Vasco agora só volta a jogar no outro sábado, dia 9, diante do Flamengo, no clássico agendado para as 19 horas, no Maracanã. O Boavista vai sair atrás da reabilitação diante da Portuguesa, também no sábado, mas às 16h30.

FICHA TÉCNICA

VASCO 2 x 0 BOAVISTA

VASCO - Fernando Miguel; Raúl Cáceres, Werley, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Lucas Mineiro (Bruno Silva), Thiago Galhardo e Bruno César; Marrony (Tiago Reis), Ribamar (Lucas Santos) e Rossi. Técnico: Alberto Valentim.

BOAVISTA - Guilherme Eiras; Wellington Silva, Gustavo Geladeira, Elivelton e Christiano (Márcio Costa); Douglas Pedroso, Ralph (Leandrão), Artur Resende e Luís Soares; Renan Donizete e Felipe Augusto (Mosquito). Técnico: Eduardo Allax.

GOLS - Marrony, aos 33 minutos do primeiro tempo. Rossi, aos 7 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Leandro Castán (Vasco); Christiano, Artur Resende e Luís Soares (Boavista).

CARTÃO VERMELHO - Mosquito (Boavista).

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

RENDA - R$ 175.327,00.

PÚBLICO - 6.087 pagantes (6.480 no total).

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.