Vasco surpreende e bate Atlético-PR

O Atlético-PR chegou a São Januário disposto a comemorar a conquista do título do Campeonato Brasileiro mas, com a derrota para o Vasco, por 1 a 0, neste domingo à tarde, perdeu a liderança para o Santos e ainda viu a equipe carioca festejar, como se fosse campeã, os pontos necessários à permanência na divisão de elite em 2005. O confronto foi marcado por confusões: embate entre torcedores e policiais nos arredores do estádio, invasão de campo, além de erros do árbitro Wilson de Souza Mendonça (Fifa-PE), que deixou de marcar um pênalti para os vascaínos.Por precisar da vitória para permanecer na Série A, mesmo com uma formação defensiva, o Vasco pressionou o Atlético-PR desde o início da partida. Apesar da pressão, o time paranaense não se intimidou e o atacante Washington, aos quatro minutos, recebeu um passe de Dênis Marques e teve o chute defendido pelo goleiro Éverton. O artilheiro do Brasileiro ainda pegou o rebote, mas tocou a bola para fora.Como resposta à ofensiva paranaense, o Vasco procurou atacar pelas laterais do campo. Aos sete minutos, o meia Coutinho sofreu um pênalti do meia Fabiano, não assinalado pelo juiz. Aos poucos, ambas equipes foram melhorando sua marcação e dificultando a armação de jogadas.A necessidade de vitória para permanecer na liderança da tabela do Brasileiro obrigou o Atlético-PR a atacar o Vasco no segundo tempo, principalmente, pressionados pela vitória parcial do Santos sobre o São Caetano. No desespero, os paranaenses começaram a desperdiçar oportunidades e a ceder espaços em campo para a equipe carioca.Aos nove minutos, o atacante Anderson sozinho na área teve um chute defendido por Diego, do Atlético-PR. Mas, Petkovic desequilibrou a partida. O sérvio, aos 21 minutos, cobrou uma bela falta pela direita e o zagueiro Henrique, de cabeça, marcou o gol da vitória vascaína.Quatro minutos depois, momento de tensão: um torcedor invadiu o campo para abraçar o meia e logo foi retirado do gramado. Em desvantagem no marcador, os jogadores do Atlético-PR também se desarrumaram taticamente. O desespero e o desequilíbrio dos atletas ficou evidente e somente não foram goleados, porque os atacantes do Vasco desperdiçaram as várias oportunidades criadas.Tiros - Paralelo à disputa em campo, o excesso de público provocou um tumulto generalizado e confrontos entre torcedores e a Polícia Militar, ao redor de São Januário. E para evitar que a situação se agravasse, os policiais interceptaram, na Avenida Brasil, 14 ônibus com torcedores paranaenses, munidos de ingressos, e os impediram de chegar ao local, pelo menos até o início do segundo tempo.Foram vendidos 15 mil ingressos e as roletas do estádio registraram a presença de 14.540 pessoas. A Polícia Militar suspeita de que a grande quantidade de torcedores tenha sido provocada pela venda de ingressos falsificados. Tanto que, aos dez minutos de partida, os portões de São Januário foram fechados e vários vascaínos ficaram do lado de fora com as entradas nas mãos.Em um dos acessos de São Januário, torcedores conseguiram furar o bloqueio e entraram no local, mas foram contidos pela polícia, que disparou tiros para o alto. Na confusão, a torcida arremessou pedras e garrafas contra os policiais e uma jovem, de 16 anos, foi pisoteada, mas foi atendida no Posto de Atendimento Médico do Vasco e sofreu apenas escoriações no joelho.[classificação]   [resultados]  [próximos jogos]  

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.