Miguel Gutierrez / AP
Miguel Gutierrez / AP

Vasco tenta quebrar tabu na casa do Athletico-PR para deixar a zona da degola

Time cruzmaltino não vence o rival paranaense em Curitiba desde 2007 e precisa do triunfo para sair da zona de rebaixamento

Redação, Estadao Conteudo

27 de dezembro de 2020 | 09h53

Sete derrotas e cinco empates. Desde 2007 que o Vasco não ganha do Athletico-PR atuando em Curitiba. Quebrar o tabu neste domingo, às 18h15, na Arena da Baixada, pode significar a saída dos cariocas da temida zona de rebaixamento do Brasileirão.

As equipes, apesar de serem de estados distintos, travam enorme rivalidade já faz um bom tempo e, quando se enfrentam, ganhar é questão de honra. No ano passado, por exemplo, foi 4 a 1 para os paranaenses. Em 2013, em Joinville, a derrota foi ainda maior: 5 a 1 e briga generalizada entre os torcedores.

Essa rivalidade promete esquentar o jogo deste domingo, primeiro sem torcedores, o que pode facilitar um pouco a vida vascaína. Habitualmente o clima é bastante hostil ao Vasco na Arena da Baixada. Sem a pressão das arquibancadas, o português Ricardo Sá Pinto acredita que pode, enfim, emplacar duas vitórias seguidas no Brasileirão e respirar aliviado.

Depois de bater o Santos em São Januário, o clima ficou mais leve no Vasco. Os jogadores estão empolgados com a possibilidade de tirar a equipe da zona de perigo e prometem superação em Curitiba. Sobretudo o meia Carlinhos, agora o armador titular.

Com a saída de Benítez, que se despediu na véspera de Natal após não haver acordo dos cariocas com o Independiente, Carlinhos vai, enfim, assumir a posição. Na rodada passada foi dele o gol da vitória sobre o Santos.

Carlinhos chegou a São Januário em agosto, vindo da Bélgica, mas jamais se firmou. Benítez era o "cara" do meio. Com a saída do companheiro, terá chance para mostrar que o investimento foi correto. Ele tem contrato até o fim de 2022.

Em Curitiba, Carlinhos terá a missão de fazer a bola chegar no ataque, sobretudo no atacante Cano, o artilheiro da equipe. Neto Borges e Léo Gil cumpriram suspensão e estão de volta.

Zaga ideal

O técnico Paulo Autuori deverá promover contra o Vasco, neste domingo, a dupla defensiva que considera ideal no Athletico-PR. Thiago Heleno voltou de suspensão, enquanto Pedro Henrique se recuperou de lesão.

No entanto, Zé Ivaldo, que teve boas apresentações na ausência de Pedro Henrique, corre por fora na briga por uma vaga entre os titulares. Já Aguilar ficará como opção no banco de reservas. De resto, Paulo Autuori indicou, durante os treinamentos, que a equipe será a mesma que venceu o Red Bull Bragantino por 1 a 0.

O clube, que vem fazendo um campeonato de altos e baixos, viu o clima piorar no vestiário após declarações do empresário do meia Jorginho, que criticou o Athletico nas redes sociais. O atleta não vem sendo aproveitado pelo técnico Paulo Autuori.

"O campeonato está muito assim. Todas as equipes oscilando muito. Algumas conseguem uma regularidade e depois voltam a cair. Tanto no meio, quanto em cima e na parte de baixo. É normal por tudo aquilo que tem sido este ano. Mas vamos seguir nos empenhando ao máximo para melhorar nossa qualificação", avalia Paulo Autuori.

Com 31 pontos, o Athletico-PR tem como objetivo se afastar da zona de rebaixamento. E o confronto é tratado como uma "decisão" porque o Vasco é rival direto nesta briga, por ter apenas 28 pontos, sendo o primeiro time dentro do grupo do descenso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.