Vasco tenta segurar ataque do São Paulo

Os quatro pontos conquistadosem quatro jogos e os 12 gols já sofridos, acenderam um alerta noVasco. O time - que ocupa posições intermediárias da tabela declassificação (é apenas o 14º) - vai enfrentar neste domingo, às16 horas, a equipe do São Paulo, time com o maior número de golsmarcados na história do Campeonato Nacional: 1.120. O técnicovascaíno Antônio Lopes procurou conscientizar os atletas de queum novo insucesso contra o Tricolor poderá deixar todos em umasituação "delicada" na competição. "Por que não podemos ganhar do São Paulo no Morumbi",indagou Lopes, lembrando que o time tem o ataque mais positivodo Brasileiro, com 11 gols. "O Vasco tem um estilo agressivo deatuar e não vamos modificá-lo por estar jogando fora de casa."E Lopes tem razão ao lembrar o estilo ofensivo do Vasco, osegundo time com o maior número de gols marcados no Brasileiro,1.116. No entanto, se o treinador pode contar com a habilidadedo meia Marcelinho Carioca e do atacante Marques para o sucessodas jogadas de ataque, o mesmo não pode dizer de sua defesa. O técnico do Vasco tem creditado à desatenção doszagueiros os vários gols sofridos pelo time. E organizar adefesa foi uma de suas principais preocupações para o confrontodeste domingo. A lateral-direita foi um problema a mais para Lopes, jáque Russo cumpre suspensão automática. A tendência é a de queWellington Monteiro, que estava na esquerda, ocupe a vaga e, emseu lugar, atue Edinho ou Oseia.Mas Lopes também não descartou a possibilidade de Claudemirocupar a lateral-direita, com Wellington Monteiro permanecendona esquerda. O zagueiro Alex, recuperado de uma contusão napanturrilha esquerda retorna à equipe no lugar de Wesclei. A preocupação de Lopes com a defesa pode ser justificadanão só pelo mal momento da zaga vascaína, mas também peloexcesso de gols marcados nos últimos três jogos entre os clubesno Brasileiro. Em 2000, o Vasco foi derrotado por 4 x 0; em 2001 aplicou uma goleada histórica por 7 x 1; e no ano passado novaderrota, desta vez, por 5 x 3. Já o meia vascaíno Marcelinho Carioca garantiu que ofato de reencontrar o meia Ricardinho não lhe causará um"desconforto". O jogador do São Paulo foi um dos responsáveispela episódio que culminou com sua saída do Corinthians. Naépoca, Marcelinho Carioca foi acusado de difamar Ricardinho, ozagueiro Scheidt, além do técnico Vandelei Luxemburgo. "A gente enfrenta uma equipe e não um atleta", disseMarcelinho Carioca. "Vou cumprimentá-lo porque da minha partenão existe mais problema."A equipe deve jogar com Fábio; Wellington Monteiro (Claudemir), Alex, WellingtonPaulo e Edinho (Oseia) (Wellington Monteiro); Bruno Lazaroni,Henrique, Léo Lima e Marcelinho Carioca; Marques e Souza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.