Vasco vai ao STJD contra Atlético-PR

"O Vasco recebeu oferta de R$ 1 milhão para não facilitar o jogo contra o Santos." A denúncia foi feita nesta quarta-feira pelo presidente do clube carioca, Eurico Miranda, que entrará nesta quinta-feira com ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) a fim de que se apure a tentativa de corrupção. Ele reuniu a imprensa após o treino no Vasco-Barra para, muito tenso, relatar o episódio. Disse que foi procurado por uma pessoa, na terça-feira, que se apresentou como representante do Atlético-PR. "Eu a repeli de pronto; e adverti a pessoa que não admitia que falassem com meus jogadores", contou.De acordo com o dirigente, na noite de terça-feira, o atleta Morais, emprestado este ano pelo Vasco ao clube paranaense, conversou por telefone com vários jogadores da equipe carioca, com quem teria abordado o assunto. "Isto é uma ofensa grave ao Vasco; o clube não adota esse procedimento." O Santos lidera o Campeonato Brasileiro com 86 pontos e encerra sua participação no torneio enfrentando o Vasco, domingo, em São José do Rio Preto. O Atlético-PR, com 85, pontos, recebe o Botafogo em Curitiba.O dirigente confirmou que seu time entrará com força máxima na última rodada do Brasileiro e explicou que a motivação será diferente, com relação à partida em que o Vasco venceu o Atlético-PR domingo, por 1 a 0, por causa da ausência de risco de rebaixamento. "O último jogo era decisivo para o Vasco. Agora, não tem mais esse caráter. Mas vamos a campo com o que temos de melhor." O presidente do STJD, Luiz Zveiter, disse que vai aguardar a queixa do Vasco para tomar providências. Ele adiantou que não poderá haver punição de perda de pontos para o Atlético-PR, no caso de algum dirigente ou funcionário do clube paranaense ter seu envolvimento comprovado na oferta. "O Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) prevê pena até de eliminação para a pessoa física que prometer vantagem indevida, em situações como essa", declarou."Vamos pedir o indiciamento de quem fez isso. Se o fato for confirmado, é lamentável." Mesmo antes da entrevista de Eurico Miranda, os jogadores e comissão técnica do Vasco não estavam autorizados a falar com os jornalistas. A ?lei da mordaça?, imposta pelo dirigente, deve prosseguir até o final da partida com o Santos. "Do jeito que está, não há nenhum problema", disse Eurico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.