Vasco vence jogo atrasado e amplia crise do Corinthians

Por muito tempo o Corinthians se apegou ao jogo contra o Vasco, atrasado da 18ª rodada devido aos festejos de seu centenário, para se ver em condições de assumir a liderança do Campeonato Brasileiro. Mas a crise que ronda o Parque São Jorge vem dificultando qualquer plano de disputa pelo título. Nesta quarta-feira, o time perdeu por 2 a 0 em São Januário, completou a sexta partida sem vencer e permaneceu em terceiro lugar, com 49 pontos, cinco atrás do líder Cruzeiro, agora com os mesmos 29 jogos.

BRUNO CHAZAN, Agência Estado

14 de outubro de 2010 | 00h06

A equipe carioca, por sua vez, chegou aos 41 pontos, no 11.º lugar, e manteve o sonho de chegar ao G-3 e garantir vaga na Copa Libertadores. Para isso, no entanto, precisará de um aproveitamento quase perfeito nas últimas nove rodadas e torcer contra os rivais que estão à sua frente.

Quando a fase é complicada, tudo joga contra. Com a ajuda do assistente Enio Ferreira de Carvalho, o Vasco criou duas chances seguidas nas costas de Roberto Carlos, ambas com Zé Roberto em posição de impedimento. Na primeira, o atacante chutou a bola nas arquibancadas de São Januário. Na segunda, aproveitou cruzamento do lateral-esquerdo Carlinhos para desviar sem chance para Júlio César e fazer 1 a 0.

O Corinthians teve a chance do empate nos pés de Iarley, que recebeu cruzamento de Danilo e, a um metro do gol, com Fernando Prass fora do lance, desviou para fora. O erro foi prontamente castigado, graças a novo erro de posicionamento de uma defesa que sofreu 14 gols nessa sequência de seis jogos sem vitória. Eder Luís foi lançado nas costas de Alessandro e, com tranquilidade, bateu na saída de Júlio César.

A situação corintiana ficou ainda pior com mais uma lesão muscular de seus titulares. Depois de Jorge Henrique, Dentinho e Bruno César, foi a vez de Alessandro sentir a coxa e deixar o campo para dar lugar a Boquita, que foi improvisado na direita. O time não criou mais nenhuma chance no primeiro tempo.

O técnico interino Fábio Carille voltou para a etapa final com Jucilei jogando pelo lado e Boquita por dentro. Com 10 minutos, Souza tropeçou sozinho na área; senha para Defederico entrar em campo e tentar mudar a situação. De nada adiantou. O Vasco só foi incomodado num chute de Jucilei bem defendido por Fernando Prass. De resto, o time carioca administrou com facilidade a vantagem, com direito até a "olé" de sua torcida.

O Corinthians tentará sair do inferno astral contra o Guarani, domingo, em Campinas, com a propagada volta de Ronaldo após 40 dias aprimorando a parte física. No mesmo dia, o Vasco irá a Goiânia encarar o Atlético-GO.

FICHA TÉCNICA:

Vasco 2 x 0 Corinthians

Vasco - Fernando Prass; Irrazábal, Cesinha, Dedé e Carlinhos (Renato Augusto); Rafael Carioca, Jumar, Fellipe Bastos (Allan) e Felipe; Zé Roberto (Jonathan) e Eder Luis. Técnico - Paulo Cesar Gusmão.

Corinthians - Júlio César; Alessandro (Boquita), Chicão, William e Roberto Carlos; Paulinho, Jucilei, Elias (William Morais) e Danilo; Iarley e Souza (Defederico). Técnico - Fábio Carille (interino).

Gols - Zé Roberto, aos 10, e Eder Luis, aos 21 minutos do primeiro tempo.

Árbitro - Sandro Meira Ricci (DF).

Cartões amarelos - Chicão, Jucilei, Paulinho, Jumar e Boquita.

Local - Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.