Filippo Monteforte/AFP
Filippo Monteforte/AFP

Vaticano suspende doações da Conmebol por escândalo da Fifa

Confederalção ajudava instituição patrocinada por Francisco

Philip Pullella e Rosalba O'Brien, REUTERS

11 de junho de 2015 | 18h20

O Vaticano informou nesta quinta-feira que não aceitará doações da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para uma instituição de caridade patrocinada pelo papa Francisco, após acusações de corrupção no mês passado contra dirigentes do futebol mundial.

O arcebispo Marcelo Sánchez enviou uma carta à Conmebol, à Associação de Futebol Argentino e a uma empresa de TV, dizendo que estava suspendendo um acordo assinado em abril, afirmou o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

O acordo para apoiar a entidade Scholas voltada à educação e aos esportes, do Vaticano, envolveria a doação da Conmebol de 10.000 dólares para cada gol marcado na Copa América, que começa nesta quinta-feira no Chile.

"Dadas as manifestações públicas que aconteceram desde 27 de maio, eu decidi suspender a aplicação do acordo até ser informado de outra forma. Por favor, abstenham-se de fazer quaisquer depósitos em dinheiro", disse a carta do arcebispo, citada pelo jornal argentino Infobae.

Sete dirigentes de futebol foram detidos na Suíça em 27 de maio como parte de uma investigação liderada pelos Estados Unidos sobre suborno e corrupção na Fifa.

De acordo com a Conmebol, o papa, que é argentino, recebeu uma delegação da América do Sul em abril que incluiu alguns dirigentes regionais, incluindo o chefe do futebol venezuelano, Rafael Esquivel, um dos sete presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.