Agustin Marcarian/Reuters
Agustin Marcarian/Reuters

Veja 5 motivos para o Palmeiras acreditar na virada sobre o Boca

Equipe alviverde precisará contar com a força de sua torcida e do seu treinador para reverter a boa vantagem do time argentino na Libertadores

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2018 | 05h02

O Palmeiras perdeu por 2 a 0 para o Boca Juniors, em La Bombonera, e viu sua situação na Taça Libertadores ficar bastante complicada. Para seguir adiante e chegar na tão esperada decisão, é preciso vencer os argentinos por três gols de diferença ou fazer 2 a 0 e levar a decisão nos pênaltis. Se conseguir ganhar por dois gols de diferença, mas sendo vazado, é a equipe argentina quem avança. Antes, enfrentará o Flamengo, sábado, pelo Brasileirão

A situação é difícil, mas não impossível, como disseram os jogadores do Palmeiras após a partida. O jogo da volta está marcado para a próxima quarta-feira, às 21h45, em um Allianz Parque que deverá estar cheio. Vale lembrar que a outra semifinal é disputada entre Grêmio e River Plate e os gaúchos largaram na frente. Para mostrar que a situação não é irreversível, o Estado destacou cinco motivos para o torcedor palmeirense acreditar na virada em casa.

Allianz Parque vai virar um caldeirão

O Palmeiras tem uma força muito grande em casa e ela se potencializou após a chegada do técnico Luiz Felipe Scolari. A tendência é que a torcida "jogue junto" como tem feito em várias partidas, principalmente nas que são decisivas e exigem mais apoio das arquibancadas. Nas quartas de final, por exemplo, os palmeirenses não pararam de cantar um minuto sequer diante do Colo-Colo.

Tecnicamente, o Palmeiras é mais forte que o Boca 

Embora o Boca tenha vencido por dois gols de diferença, é inquestionável que o time do Palmeiras é superior tecnicamente em comparação aos argentinos. Se conseguir colocar a bola no chão e fazer o seu jogo, sem entrar na catimba dos rivais, aumenta bastante a chance do time de Felipão se classificar para a próxima fase da Libertadores. 

Palmeiras deve ser mais ofensivo

Felipão falou, logo após a partida, que deve promover mudanças táticas para o jogo da volta. A tendência é que ele escale uma formação mais ofensiva, até pela necessidade de marcar gols. Os atletas disseram que a ideia do time na Argentina era jogar no contra-ataque. Logo, é o Palmeiras quem deve ter a iniciativa na partida de volta e para um time melhor tecnicamente, as chances de sucesso são maiores. 

Felipão copeiro

Luiz Felipe Scolari é conhecido por ser um treinador copeiro, que sabe lidar com adversidades em torneios mata-mata e motiva o elenco como poucos na sua área. Experiente, o comandante palmeirense deverá trabalhar bem a cabeça dos atletas para não transformar a vontade e garra em violência ou desequilíbrio diante de um time que já mostrou não ser bobo. 

Chegou a hora de voltar a conquistar a América

Dos quatro principais clubes de São Paulo, o Palmeiras é quem está mais tempo sem conquistar uma Libertadores. A primeira e única aconteceu em 1999. A ansiedade com a possibilidade de levantar a taça mais importante do continente é grande entre os torcedores e tal sentimento pode se transformar em uma motivação extra para a partida. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.