Reuters
Reuters

Veja como está a discussão sobre a volta do futebol nas principais ligas europeias 

Holanda não pretende dar continuidade às competições, enquanto Espanha, Itália, Portugal e França podem retornar aos jogos em breve

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2020 | 12h58

O futebol europeu está paralisado há mais de um mês por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Tendo em vista que a doença se encontra em diferentes estágios e, consequentemente, os países têm adotado medidas preventivas distintas, o Estado realizou um levantamento que mostra em que situação se encontra o debate acerca da retomada do futebol nacional, nas principais ligas da Europa. A reportagem também ouviu um especialista para falar sobre o assunto.

A Holanda pretende encerrar seu campeonato, enquanto Espanha, Portugal, Itália e França trabalham para que suas competições sejam retomadas o mais rápido possível. No Reino Unido, por sua vez, não há previsões para os torneios voltarem, ao mesmo tempo que, na Alemanha, os treinos já estão acontecendo.

Inglaterra

A princípio, a temporada 2019/20 do Campeonato Inglês retornaria no início de maio. Porém, em uma reunião com acionistas da competição, foi-se decidido que o torneio será retomado apenas quando houver segurança para sua realização. Os organizadores da competição, se respaldam em orientações médicas, emitidas pelo governo britânico. Não há data definitiva para o retorno dos torneios e quando ele acontecer, a tendência é que seja com portões fechados.

"A saúde e o bem-estar dos jogadores, treinadores, gerentes, funcionários do clube e torcedores são nossa prioridade e a liga só será reiniciada quando a orientação médica permitir", afirmou o comunicado da Premier League. Situação do Reino Unido em relação à covid-19: Mais de 129 mil casos confirmados e 17 mil mortos.

Itália

Os responsáveis pela organização do Campeonato Italiano pretendem concluir a temporada 2019/20. Porém, dependem de uma confirmação do governo para que isso ocorra. Os organizadores do torneio baseiam suas decisões em recomendações da Fifa, da Uefa e da Federação Italiana de Futebol.

Os 20 clubes que integram a Série A do torneio votaram, em uma decisão unânime, pela continuidade da competição nacional. Os dirigentes querem a retomada dos campeonatos, porém, conforme as determinações emitidas pelas autoridades sanitárias italianas; Com isso, os jogos devem ser realizados com portões fechados. Situação do país em relação à covid-19: mais de 184 mil casos confirmados e 24 mil óbitos.

Espanha

A temporada 2019/20 do Campeonato Espanhol deve ser retomada em junho. O Conselho Nacional de Esportes da Espanha, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) e a LaLiga decidiram que os clubes participantes do torneio podem retornar suas sessões de treinamento, desde que os protocolos de prevenção à covid-19, estabelecidos pelo governo espanhol, sejam cumpridos. A volta da competição nacional está sujeita à evolução da pandemia, no país.

Contudo, os capitães de todos os 42 times da La Liga e da segunda divisão do país, se opuseram à proposta de retomada de treinamentos fechados (sem a presença de torcedores, imprensa ou qualquer outras pessoas que não sejam os jogadores) e, de acordo com um porta-voz associação de jogadores, informarão ao departamento governamental do Esporte e ao Ministério da Saúde suas preocupações com o retorno ao trabalho. Os atletas acreditam que a decisão de voltar aos treinos sendo eles fechados, é sinal de que não há segurança para trabalhar  Situação do país em relação à covid-19: Mais de 208 mil casos e 21 mil mortos.  

Portugal

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) trabalha num projeto de retomada gradual do Campeonato Português. A Unidade de Saúde e Performance da Federação, é quem lidera o plano, que conta com a participação de especialistas da Universidade do Porto e da Universidade Nova Lisboa.

“O objetivo da FPF é assegurar que o regresso será efetuado no momento adequado, de acordo com as regras estipuladas e garantindo a segurança de todos os intervenientes, desde jogadores, treinadores, e os 'staffs' clínicos e logísticos de apoio direto às equipes, mas estendendo-se aos restantes dos intervenientes em treinos, jogos e deslocamentos", explicou a federação. 

A organização do Campeonato Português, contudo, já havia elaborado um plano para que a retomada da competição ocorresse no final de maio e terminasse em meados de julho. Restam apenas dez rodadas para o torneio se concretizar e as partidas seriam realizadas com portões fechados. Situação do país em relação à covid-19: 22 mil casos e mais de 4 mil óbitos.

França

O presidente da organização responsável pela realização do Campeonato Francês, em comum acordo com o presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), pretende encerrar a competição nacional até o dia 30 de junho.

"Tornamos um princípio importante fazer tudo o que pudermos para terminar (o campeonato) em 30 de junho. O objetivo é 30, mas se tivermos que terminar mais tarde, vamos nos adaptar com os clubes e com os jogadores. Vamos jogar como o máximo que pudermos ", afirmou o diretor executivo da Liga Francesa Profissional (LFP), Didier Quillot.

Contudo, de acordo com o jornal L’Equipe, da França, a LFP estipula retomar o torneio em meados de junho. O retorno do futebol nacional dependerá das medidas que serão anunciadas pelo governo francês, no dia 11 de maio, que elabora uma abertura gradual das atividades no país. Situação do país em relação à covid-19: mais de 158 mil casos confirmados e 20 mil óbitos.

Alemanha

Os organizadores do Campeonato Alemão pretendem retomar a competição nacional no dia 9 de maio, porém, sem a presença de torcedores e com um limite de 240 pessoas essenciais à realização do evento, por estádio.

A Alemanha, foi o primeiro país da Europa que permitiu a volta gradual dos treinos, seguindo medidas protetivas. Os jogadores devem manter distanciamento de dois metros entre seus companheiros de equipe e não podem realizar jogadas de contato físico, como tentativas de desarme.

A Federação Alemã de Futebol (DFB), é responsável pela elaboração de um plano, onde os jogadores teriam contato reduzido com familiares específicos, até o fim da temporada. "Nós vamos garantir que a volta dos jogos não vai causar uma explosão de casos no sistema de saúde do país", disse Fritz Keller, presidente da DFB, em artigo que defende a retomada do futebol alemão. Situação do país em relação à covid-19: mais de 148 mil casos confirmados e 5 mil óbitos.

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Nós vamos garantir que a volta dos jogos não vai causar uma explosão de casos no sistema de saúde do país
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Fritz Keller, presidente da Federação Alemã de Futebol

Holanda

O primeiro ministro da Holanda anunciou que a retomada do futebol no país está proibida até o dia 1ª de setembro, mesmo que ocorra sem a presença de torcedores. Os organizadores do Campeonato Holandês e a Federação Holandesa de Futebol (KNVB, sigla em holandês) irão discutir com a Uefa o fim da temporada 2019/20.  

“O conselho de profissionais do futebol pretende não continuar jogando a liga 2019/20", disse a KNVB, que prosseguiu: "Com base na decisão do governo, a KNVB a irá consultar a Uefa e, após, a decisão será confirmada". Situação do país em relação à covid-19: mais de 34 mil casos confirmados e 4 mil mortes.

"A retomada gera uma exposição e ela precisa ser ponderada', diz médico

  • Fábio Gaudenzi, médico infectologista, membro do conselho deliberativo da Sociedade Brasileira de Infectologia, analisa a possibilidade dos torneios europeus voltarem a ser realizados

É importante entendermos quais fatores culturais, econômicos e estruturais acabam por interferir na forma com que o vírus circula através dos países. Não só a questão climática, que tem se discutido bastante, deve ser levada em consideração. Fatores relacionados a proximidade das pessoas, a capacidade do suporte financeiro para manter suas estruturas fechadas e a organização do sistema de saúde, também devem ser levadas em conta, pois influenciam no controle da disseminação do vírus.

Desta forma, existem respostas e cenários diferentes dentre os países europeus. Isso faz com que exista a tendência de imaginar, que um país retomaria suas atividades num tempo diferente do outro.

O que realmente gera a diminuição da circulação do vírus, é a não aglomeração de pessoas e, provavelmente, os países que possuem o maior controle vão evitar, por mais tempo, esse aglomerado, até porque, quando analisamos esses países, visualizamos que tiveram um menor número da sua população exposta ao vírus, ou seja, eles terão que ficar mais tempo fechados. Ao contrário, os casos voltarão rapidamente.

A vida normal vai demorar para ser restabelecida. Esse controle aconteceu à custa de medidas implementadas em conjunto, não quer dizer, que com bons indicadores, aquele local poderá retomar suas atividades brevemente. No futebol, não é só a ausência de torcida, mas, também, de toda a equipe, de todos os preparadores, que fará a diferença. Existe um time por trás do elenco, para que o evento aconteça. A retomada gera uma exposição a esses atletas e essa exposição precisa ser ponderada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.