Miguel Vidal / Reuters
Miguel Vidal / Reuters

Veja os principais pontos do plano de retomada do futebol português

Projeto lista orientações em três etapas: antes, durante e após a partida

Raul Vitor, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2020 | 05h00

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) consolidou seu plano de retomada das competições. Esboçado há mais de uma semana, o projeto, agora, conta com três fases: pré-jogo, jogo e pós-jogo. Todos os jogadores deverão ser testados para covid-19 entre 24h e 48 horas antes das partidas e, aqueles que tiverem resultado positivo, serão isolados por 14 dias, podendo retornar às atividades, após a confirmação de mais duas averiguações negativas, num intervalo de 24 horas.

Apesar do plano estar pronto, o Governo português não se manifestou em relação ao retorno de qualquer atividade esportiva no país. Todos os envolvidos na realização dos confrontos terão que seguir uma série de orientações nas três etapas que constituem o protocolo, ou seja, antes, durante e após as partidas. O Estado destaca os principais pontos do documento e algumas determinações curiosas, como por exemplo, não recolocar em jogos as bolas que forem para a arquibancada.

Pré-jogo

  • Hotéis: Envolvidos na realização do evento terão que optar por quartos individuais ou com camas separadas por um metro. Uso de elevadores, ar condicionado e contato com outros hóspedes deverão ser evitados. Escadas poderão ser utilizadas sem toque no corrimão e refeições deverão ser feitas em ambientes arejados.
  • Aeroportos: Evitar aglomerados e toques nos bancos dos aeroportos. Recomenda-se às delegações o porte e utilização frequente de desinfetantes que permitam a higienização.
  • Entrada nos estádios: Equipes devem entrar separadamente para evitar contato desnecessário.
  • Aquecimento: Deverá se respeitar o distanciamento entre os indivíduos dentro dos gramados.

Jogo

  • Banco de reservas: Todos os indivíduos presentes deverão apresentar teste negativo para covid-19.
  • Arbitragem: Árbitros e delegados da partida serão testados antes de cada jogo. Placa que indica a substituição poderá ser manuseada apenas pelo quarto árbitro e deverá ser higienizada. Produtos de higienização serão disponibilizados junto ao sistema de VAR.  
  • Gandula: Bolas que chegam à arquibancada deverão ser trocadas e não deverão ser utilizadas novamente.

 

Pós-jogo

  • Saída dos gramados: repórteres terão que respeitar distanciamento de dois metros, utilizando máscaras, dois microfones (um para ele e outro para o entrevistado) ou equipamento de extensão para o objeto.
  • Coletiva: Clube deve se responsabilizar pela higienização do local. Não será permitido o apoio de microfones ou aparelhos de captação de áudio na mesa. Membros do clube e imprensa devem ter entradas distintas. Videoconferências serão permitidas e não haverá zona mista.

     

REPERCUSSÃO

O treinador brasileiro Armando Santos, que treina o Mirandela, da terceira divisão portuguesa, acredita que o plano tenha sido bem elaborado e está confiante com a volta das competições.

"Torço muito para que isso (volta do futebol) corra bem. Acredito que seja uma luz no fim do túnel. Se as coisas ocorrerem da forma correta, todos nós teremos esperança que em breve o futebol poderá regressar, mesmo que não tenhamos todas as soluções definitivas em relação à covid-19 em mãos. Com muitas regras e muito cuidado será possível regressar", explicou Santos.

O treinador ainda afirmou que a retomada das sessões de treinamento não é uma garantia de que o futebol português irá voltar, embora, tenha deixado claro, que não enxerga motivos para o impedimento de seu retorno.

"Partindo do princípio que, no futebol, a maioria dos atletas estão bem de saúde, possuem a possibilidade de realizar testes com frequência, podem ficar confinados em regime de concentração e ir somente aos jogos, acredito que o plano dará certo", disse. "Mas, já que abriram outros serviços, que são ainda mais perigosos que o futebol, como por exemplo, um vendedor do pequeno comércio, por que não retomar o futebol, onde todos estão sob vigilância?", completou.

Na última terça-feira, a Liga, organizadora das competições portuguesas, decretou o encerramento da segunda divisão nacional. Apesar de não haver um campeão, Nacional e Farense, conquistaram uma vaga na "Série A", enquanto Cova da Piedade e Casa Pia foram rebaixados.

 

TRÊS PERGUNTAS PARA...Raphael Aflalo, goleiro do Aves, de Portugal

 

​Como tem sido o restabelecimento das sessões de treinamento?

Acho que os treinamentos individuais nessa fase são um pouco mais chato para nós jogadores, porque é algo novo, mas é o correto a ser feito pela medida de segurança e pela nossa saúde. Não só nossa, como de todos os funcionários do clube e nossas famílias também, que têm contato com a gente diariamente.

Você acredita que o plano para a retomada do futebol será eficaz? 

Acho que se todos os clubes, os atletas, as comissões, todos os funcionários do clube e principalmente todos os adeptos respeitarem essas medidas de segurança feita pela Liga, teremos sim a volta do Campeonato Português.

Como tem sido conviver com essa incerteza da retomada do futebol, sendo que o Aves está na zona de rebaixamento?

Agora, mais do que nunca, eu venho treinando muito forte e com um só objetivo, jogar e ajudar a manter o Aves na Primeira Liga. Acho que única coisa que passa pela minha cabeça é me preparar o máximo possível para que, se o mister precisar, estar pronto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.