Vélber garante: é torcedor são-paulino

O São Paulo contratou um são-paulino: o atacante Vélber, que faz 26 anos em maio, jura que passou as madrugadas de 12 de dezembro de 1992 e 13 de dezembro de 1993 acordado, vendo seu clube tornar-se bicampeão do mundo interclubes ao vencer Barcelona e Milan.?Meu pai torce para o São Paulo e passou isso para mim. Na hora de decidir aonde ir, nem pensei duas vezes. Escolhi meu time de coração?, disse por telefone ao Jornal da Tarde, de Belém. Para provar que não mente, fala de um presente recebido: ?Meu ídolo era o Raí e o meu pai me deu uma camisa dele. O patrocinador ainda era IBF. Guardei o presente por muito tempo.?A possibilidade de jogar na Libertadores foi outro fator que pesou na escolha: ?Tinha proposta do Palmeiras, do Corinthians, do Cruzeiro e do São Paulo. A do Corinthians era a menor e eu descartei. E entre os dois clubes que disputavam a Libertadores, nem pensei. Fiquei com o São Paulo.?Vélber fez 14 gols no Campeonato Brasileiro pelo Paysandu. Em 2002 foram dez. Joga como meia chegando com a bola dominada e pode jogar também no ataque, como afirmou o técnico Cuca. ?Jogo pela lateral do ataque e faço bons cruzamentos. O São Paulo já tem o Luís Fabiano fixo na área. Posso fazer uma dupla bola com ele. Quero ajudá-lo a fazer muito mais gols do que este ano.?Vélber entende que demorou para deixar o Pará e que não há muito tempo a perder. ?Tenho me destacado, mas as propostas nunca foram muito boas. Meu sonho é ganhar a Libertadores e jogar pelo menos mais um ano no São Paulo. Depois quero jogar na Espanha. No Real Madrid ou Barcelona. Não quero saber de time pequeno da Europa.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.