Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Vélez e Universidad de Chile vencem na Libertadores

Equipe argentina jogou em casa e bateu o Chivas. Chilenos golearam o Godoy Cruz

AE-AP, Agência Estado

23 de fevereiro de 2012 | 08h43

BUENOS AIRES - Vélez Sarsfield e Universidad de Chile souberam aproveitar o fator campo e venceram com tranquilidade pela Copa Libertadores em jogos encerrados no final da noite de quarta-feira. Atuando em Buenos Aires, o time argentino bateu o Chivas, do México, por 3 a 0, enquanto a equipe chilena goleou o Godoy Cruz, da Argentina, por 5 a 1, em Santiago.

Este foi o segundo triunfo seguido do Vélez, que anteriormente bateu o Defensor Sporting, também por 3 a 0, em Montevidéu, no Uruguai. Com isso, a equipe ficou na liderança isolada do Grupo 7 da competição continental, com seis pontos, três à frente do time uruguaio. Já Deportivo Quito, do Equador, e Chivas dividem a última colocação da chave, com apenas um ponto.

Mauro Óbolo e Federico Insúa, que marcou dois gols em apenas dois minutos, decretaram a vitória do Vélez já no segundo tempo do confronto desta quarta na capital argentina.

Já a Universidad de Chile comemorou a sua primeira vitória nesta Libertadores, depois de ter sido derrotada por 2 a 0 pelo Atlético Nacional, na Colômbia, em sua estreia. Com a goleada por 5 a 1, o time se garantiu na segunda posição do Grupo 8, com três pontos, empatado com o próprio Godoy Cruz, que está em desvantagem no saldo de gols.

O líder desta chave, com seis pontos, é o Atlético Nacional, que depois de vencer a Universidad de Chile goleou o Peñarol por 4 a 0, em pleno Estádio Centenário de Montevidéu, na última terça-feira. Essa foi a segunda derrota seguida do time uruguaio, que amarga a lanterna, sem nenhum ponto.

Fernandes, com três gols, foi o grande destaque da vitória da Universidad nesta quarta, enquanto Gustavo Lorenzetti e Angelo Enríquez também marcaram pelo time chileno no duelo. Sigali descontou o placar para a equipe argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.