Nilton Fukuda|Estadão
Nilton Fukuda|Estadão

Velho esquema funciona e Palmeiras derrota o Fluminense em casa

Alviverde desencanta no segundo tempo com mudanças de Cuca

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2016 | 23h48

O técnico Cuca resolveu inovar na escalação do Palmeiras e abriu mão de um atacante na área. Escalou três jogadores de velocidade na frente, mas só conseguiu a vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, nesta quarta-feira, no Allianz Parque, justamente após mexer na equipe e montar a tradicional formação, com Alecsandro plantado dentro da área. 

Domingo, Palmeiras e Fluminense voltam a campo para jogar clássicos. O time alviverde visita o São Paulo, no Morumbi, ainda mais animado, principalmente pelo que fez no segundo tempo desta quarta. Já o time carioca recebe o Botafogo precisando dos três pontos, após empate em casa com o Santa Cruz e a derrota para os paulistas. 

O primeiro tempo foi de dar sono. Quem esperava um grande jogo, que pudesse lembrar aquela partida válida pela semifinal da Copa do Brasil do ano passado, quando a equipe alviverde garantiu a vaga para a decisão nos pênaltis, lamentou profundamente. Foram poucas emoções na primeira parte do jogo, muito por culpa de erros individuais dos dois times. O melhor lance da primeira etapa saiu em jogada que teve como protagonistas Fernando Prass e Fred, como aconteceu na última vez que se encontraram.

 

Aos 44, Cícero desviou de cabeça para Fred desviar e Prass dar um tapa quase milagroso na bola. Na sequência, o atacante do Flu isolou a bola por cima da meta. Mais uma vez, o goleiro palmeirense levou a melhor sobre o atacante rival.

Antes, pouco se viu. O Palmeiras ficava com a bola no pé, tocava, mas não finalizava. O Fluminense tentava jogar no erro adversário, entretanto, também tinha dificuldade em passar uma jogada sem dar a bola de bandeja para os marcadores. 

Expulso na partida contra a Ponte Preta, Cuca não ficou no banco de reservas, mas com certeza se irritou com o que viu. Por um ponto eletrônico, passava coordenada para seus auxiliares Alberto Valentim e Cuquinha (as câmeras de TV flagraram o equipamento, algo proibido) e, sem sucesso, mexeu no time. Colocou Moisés e Alecsandro nos lugares, respectivamente, de Cleiton Xavier e Egídio. Ganhou o jogo neste momento.

Aquele Palmeiras inoperante ficou no vestiário, enquanto o Flu se manteve mais preocupado em garantir o empate. Pagou caro pela acomodação. 

DA ÁGUA PARA O VINHO

Com Tchê Tchê pela esquerda e Róger Guedes na direita, o Palmeiras sufocou a defesa do Tricolor carioca, que até se reorganizar para neutralizar a mudança de Cuca, já era tarde demais. 

Aos 11, Dudu cobrou falta e Vitor Hugo desviou de cabeça para abrir o placar. Na comemoração, deu um salto mortal, o mesmo que a diretoria já havia mandado ele parar, pois podia se machucar. Apesar da vitória, é provável que o zagueiro leve bronca. 

Dois minutos depois, lá foi o Palmeiras garantir a vitória. Aos 13, Jean tabelou com Róger Guedes e cruzou rasteiro para Alecsandro encher o pé e fazer o segundo. Fluminense não conseguia respirar.

Com o placar negativo e o recuo do Palmeiras, o Fluminense conseguiu achar espaço para tentar jogar e novamente a falta de pontaria de seus atacantes fez com que a o placar não fosse mais movimentado. Gustavo Scarpa foi um dos que não souberam aproveitar as chances. 

Com o resultado definido, o Palmeiras fez aos 33 minutos uma alteração curiosa. Saiu Gabriel Jesus, com 19 anos, e entrou o veterano Zé Roberto, com 41 anos, mais do que o dobro do garoto. 

Antes do jogo acabar, um lance típico de comédia pastelão. Aos 40, Gum chutou a bola em cima de Wellington Silva, a jogada sobrou para Róger Guedes que tentou driblar Cavalieri e sem ângulo, não conseguiu marcar o terceiro. Não foi preciso.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 0 FLUMINENSE

GOLS - Vitor Hugo, aos 11, e Alecsandro, aos 13 minutos do segundo tempo.

PALMEIRAS (4-3-3) - Fernando Prass; Tchê Tchê, Thiago Martins, Vitor Hugo e Egídio (Alecsandro); Matheus Sales, Jean e Cleiton Xavier (Moisés); Róger Guedes, Gabriel Jesus (Zé Roberto) e Dudu. Técnico: Cuca.

FLUMINENSE (4-4-2) - Diego Cavalieri; Jonathan, Henrique, Gum e Wellington Silva; Pierre, Edson (Marcos Júnior), Gustavo Scarpa (Magno Alves) e Cícero; Osvaldo (Richarlison) e Fred. Técnico: Levir Culpi.

JUIZ - Sandro Meira Ricci (SC).

CARTÃO AMARELO - Thiago Martins.

PÚBLICO - 28.534 pagantes.

RENDA - R$ 1.567.292,04.

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.