Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Esteban Collazo/AFP
Esteban Collazo/AFP

Corpo de Maradona é velado na Casa Rosada; argentinos se despedem do ídolo

Craque argentino morreu na quarta-feira e fãs poderão se despedir de seu corpo até as 16h desta quinta

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2020 | 07h19
Atualizado 26 de novembro de 2020 | 22h30

Com grande presença de torcedores do lado de fora da Casa Rosada, sede do governo da Argentina, em Buenos Aires, o velório de Diego Maradona foi aberto ao público às 6 horas (de Brasília) desta quinta-feira e seguirá até 16 horas. A expectativa é que 1 milhão de pessoas passem pelo local para se despedir do ídolo, que morreu no início da tarde de quarta após sofrer uma parada cardiorrespiratória, segundo as primeiras informações.

Desde o início da madrugada, milhares de torcedores formavam uma fila que avançava algumas quadras da tradicional Avenida de Mayo. Houve um princípio de confusão na hora da abertura dos portões da Casa Rosada, mas sob muita emoção os fãs foram entrando aos poucos e deram adeus a Maradona.

A situação na entrada da Casa Rosada está controlada, mas ainda com com alguns princípios de confusão na última barreira antes do acesso ao salão onde se encontra o caixão do ídolo. É permitida a entrada de 20 pessoas por vez e, quando o portão se fecha após entrada do grupo, os ânimos se exaltam. Mesmo com a pandemia, os torcedores argentinos se aglomeram para se despedir de Maradona. 

Escoltado por uma caravana, o corpo do ex-craque chegou à sede do governo argentino por volta de 1 hora, quando uma multidão já se encontrava na Plaza de Mayo. Camisas da seleção da Argentina e do Boca Juniors já eram maioria no local, embora torcedores de todos os clubes da Argentina marcaram presença.

Atendendo a um pedido da família, que fez uma cerimônia íntima momentos antes da abertura dos portões, o caixão permanecerá fechado durante o velório, que conta com a presença da imprensa local e internacional, com jornalistas dos principais meios de comunicação do mundo. 

Diego Maradona será enterrado no cemitério Jardins de Bella Vista, em Buenos Aires, porém o horário do sepultamento ainda não havia sido confirmado pela família até momentos antes do início do velório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.