Vencer Roth motiva os palmeirenses

O clássico entre Palmeiras e Santos, amanhã, às 17 horas, no Palestra Itália, seria apenas mais um do extenso calendário do futebol brasileiro, se no banco dos visitantes não estivesse um desafeto dos palmeirenses, tanto de jogadores quanto de torcedores. O técnico santista, Celso Roth, passou pelo clube em 2001 e deixou poucos amigos. Sua presença no time adversário será um tipo de "doping" emocional para os atletas, que querem se ?vingar?, em campo, de algumas atitudes que os irritaram, o que promete dar uma pitada de tempero à partida. "O grupo não estava fechado com ele. O Celso dava pouca liberdade para nós conversarmos, discutirmos tática de jogo", contou o zagueiro Alexandre. Mesmo nas boas exibições, Roth pouco valorizava o grupo. Raramente fazia brincadeiras ou se relacionava com o elenco fora do ambiente de trabalho. Com as câmeras ou os microfones de rádio ligados, os jogadores falam que têm carinho e muito respeito por Roth, mas, em conversas informais, deixam a diplomacia de lado para dizer o que realmente pensam. "Não dava para agüentar, nós dávamos o máximo para vencer, colocávamos o coração na ponta da chuteira e ele estava sempre reclamando, dizendo que era preciso melhorar, nunca reconhecia nosso trabalho", desabafou um atleta, que preferiu para não ter seu nome divulgado. "Muitos do elenco não gostavam dele." O treinador também não contava com a simpatia da torcida. Era sempre chamado de "burro" pelos palmeirenses, mesmo quando a equipe liderava o Campeonato Brasileiro ou conquistava bons resultados. A torcida uniformizada Mancha Alviverde fez diversos protestos para pedir sua demissão. Neste sábado de carnaval, Roth não deve ser muito bem recebido no Palestra Itália, pelo menos é o que pensam os próprios jogadores. "Acredito que a recepção não vai ser nada boa por parte da Mancha (Alviverde)", apostou Alexandre. Vanderlei Luxemburgo fará algumas mudanças em relação à equipe que empatou com o Vasco por 2 a 2. Taddei perde a vaga na lateral-esquerda para Adauto e Alex entra no lugar de Adriano. Galeano deve ser escalado no meio-de-campo. Hoje, o zagueiro César foi apresentado pela diretoria. "Espero fazer uma boa temporada para ter o contrato renovado", afirmou o jogador, que assinou contrato até dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.