Kim LudBrook/EFE
Kim LudBrook/EFE

Venda de ingressos causa confusão na África do Sul

Fifa disponibiliza lote de 500 mil entradas em shoppings e balcões de supermercado em noves cidades-sede

AE-AP, Agência Estado

15 de abril de 2010 | 12h51

O primeiro dia da venda de ingressos para a Copa em bilheterias na África do Sul causou confusão. Até então, as entradas eram comercializadas exclusivamente pela internet ou por meio de um complicado cadastro de reserva, o que provocou críticas dos sul-africanos. Nesta quinta-feira, porém, a Fifa disponibilizou um lote de 500 mil entradas em shoppings e balcões de supermercados nas nove cidades do país que receberão partidas do Mundial.

A maioria da população da África do Sul não tem cartão de crédito nem acesso à internet e está acostumada a pagar os ingressos em dinheiro. Por isso, a venda nas bilheterias estava sendo aguardada com ansiedade pelos sul-africanos, que formaram longas filas nesta quinta-feira para poderem comprar suas entradas para a Copa. Mas, diante de tanta demanda, houve confusão nos pontos de venda em Johannesburgo, em Pretória e na Cidade do Cabo.

Problemas técnicos atrasaram as vendas, o que irritou as pessoas ansiosas por comprar ingresso. A polícia foi chamada para controlar a multidão e precisou utilizar a força em alguns casos. "Entendo que muita gente está frustrada, mas tivemos alguns problemas técnicos porque é o nosso primeiro dia", explicou Christa Venter, representante da Match, empresa contratada pela Fifa para administrar as vendas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa 2010África do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.