Venda de Tevez aprovada. Com mudanças

O conselho da diretoria do Boca Juniors aprovou nesta quinta-feira, no fim da noite, a venda ao Corinthians do astro do time, o atacante Carlos Tevez. O conselho, no entanto, aprovou a transferência de "El Apache", como é conhecido, "com modificações".A proposta original era vender 80% do passe de Tevez. Mas, o conselho decidiu que seria vendido 100% do passe, e que o Boca Juniors ficaria com US$ 18 milhões "limpos". Além disso, o Boca contaria com um valor adicional (uma porcentagem) em uma eventual futura venda de Tevez, por parte do Corinthians, para outro time.A venda de Tevez era considerada um fato, já que havia tido a bênção do presidente do Boca Juniors, o empresário Mauricio Macri. O empresário, no entanto, havia lamentado nos últimos dias a partida do jogador, já que pretendia desvencilhar-se de "El Apache" apenas a partir de junho do ano que vem. Além disso, Macri esperava nos próximos meses fechar um acordo mais suculento com times europeus.Mas, Tevez estava preocupado, e preferia ter um pássaro na mão do que dois voando. O jogador pressionou Macri, que acabou cedendo e aceitando a oferta do Corinthians.A venda de Tevez foi intensamente criticada por Roberto Drigón, ex-diretor do Boca, que lidera a oposição a Macri dentro do clube. "Na categoria de torcedor do Boca, sinto vergonha dessa venda", disparou Drigón. O ex-diretor lançou críticas contra Macri, indicando que por trás desta transferência existem grupos de investidores "provenientes da Rússia, onde há lavagem de dinheiro".Saudade - Tevez declarou que nunca havia imaginado estar algum dia longe do Boca Juniors. "Ainda me custa pensar que não jogarei mais no Boca", declarou, após defini-lo como o time que "mais ama". Depois, para arrematar, explicou: "mas nunca dei minha palavra de que ia ficar aqui..."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.