Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Venezuela convoca outro atacante

O atacante Juan García foi convocado nesta segunda-feira pelo técnico Richard Páez para substituir Rafael Castellín e enfrentar o Brasil, no sábado, em Maracaibo, pela 9ª rodada das Eliminatórias para a Copa de 2006.Castellín se machucou no domingo, na partida contra o Deportivo Italchacao, pelo campeonato local. Deve ser operado no pé direito.Domingo de azar para Castellín, sorte para García, que atingiu a marca de 200 gols na liga local. Ele anotou dois gols para o Mineiros, na vitória sobre o Italmaracaibo por 3 a 1.O atacante não foi bem nas últimas convocações da Venezuela, mas seus gols na liga convenceram o treinador a lhe dar mais uma chance. Nos últimos cinco jogos, García marcou cinco gols. "Espero continuar fazendo gols. A seleção está em bom momento e temos de sair com tudo. Nosso time quer ganhar e tudo é possível", disse o atacante.Para os brasileiros, García traz uma triste lembrança. Ele foi o primeiro jogador venezuelano a marcar um gol no Brasil em jogo oficial pelas Eliminatórias, há 11 anos.Os jogadores da Venezuela se apresentaram nesta segunda-feira e já estão concentrados para a partida contra o Brasil, que será no estádio Pachencho Romero, de Maracaibo.A preocupação de Páez é com o ataque. Além de García, o técnico chamou os atacantes Morán, Margiotta e Rondón, este último jogador do São Paulo.A Venezuela tem dez pontos e não ganha desde o jogo contra o Uruguai, em janeiro (3 a 0). A próxima partida será contra o Equador, terça-feira, fora de casa."O jogo contra o Brasil será para a história. Contra o Equador, uma obrigação. Vamos jogar com o respeito que os campeões mundiais merecem. Não vamos ficar atrás esperando, mas também não vamos enfrentá-los. Vamos jogar com dignidade, mostrando o que sabemos fazer", prometeu Páez.

Agencia Estado,

04 de outubro de 2004 | 19h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.