Antonio Calanni/AP
Antonio Calanni/AP

Ver o papa é mais importante que amistoso, diz Prandelli

Católico praticante, técnico da Itália comemora oportunidade de encontrar o Pontífice

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2013 | 19h25

ROMA - O técnico da seleção italiana, Cesare Prandelli, está ansioso pela experiência que vai viver esta semana. Nem tanto pelo amistoso de quarta-feira contra a Argentina, no Estádio Olímpico de Roma, mas principalmente pela chance de se encontrar terça com o papa Francisco, motivo do amistoso deste meio de semana.

"Nós jogamos partidas de futebol todo dia, toda semana, mas por outro lado você só visita o papa uma vez na sua vida. É uma nova emoção", disse Prandelli, nesta segunda-feira, quando os jogadores da seleção italiana se apresentaram a ele visando o amistoso de daqui a dois dias.

Na opinião do treinador, que é católico praticante, o amistoso marcado em homenagem ao papa argentino será especial, até porque será o primeiro encontro das suas seleção após um hiato de 12 anos. "Os dois times estão no mesmo hotel, e o espírito deste jogo deve ser de celebração para todos", comentou ele.

Prandelli, porém, também falou de futebol. E, claro, foi perguntado sobre Balotelli, que completa 23 anos nesta segunda. "O grande presente para ele seria encontrar a convicção no campo que pode fazer dele um verdadeiro jogador decisivo", afirmou o treinador, que deve escalar o ataque italiano com Balotelli e Osvaldo, argentino naturalizado. "Vejo neles um enorme potencial", revelou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolItáliaArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.