Verba pública tailandesa no Liverpool

Há semanas que o primeiro-ministro da Tailândia, Thaksin Shinawatra, está negociando a compra de 30% das ações do Liverpool, tradicional clube inglês de futebol. Ele é milionário e poderia dispor dos 100 milhões de dólares que a transação deve custar. Mas ao anunciar que iria usar dinheiro público no negócio, ele provocou uma tempestade política em seu país. O Partido Democrático, que tenta tirar o controvertido primeiro-ministro de seu cargo nas eleições gerais, marcadas para este ano, diz que vai exigir revisão de toda e qualquer conta pública, se conseguir subir ao poder. Thaksin não esperava uma reação tão forte no país pois seus estrategistas pensavam que os jovens, de um país fanático por futebol, ficariam orgulhosos com a compra. Desde que anunciou o negócio, Thaksin já mudou várias vezes de discurso. Mas hoje deu uma pista sobre como deverá ser feito: "O dinheiro do investimento não virá de quem paga impostos. Os investidores privados comprarão as ações e as oferecerão para a compra pelo público", explicou. Ele ofereceu 60 milhões de libras (cerca de US$ 90 milhões) e Steve Morgan, o proprietário do Liverpool, pediu 73 milhões. "Fizemos o melhor que pudemos. Creio que vai dar certo. Na semana que vem, tudo estará resolvido", disse Thaksin, 54 anos, o magnata das telecomunicações da Tailândia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.