Vereador corintiano acusado de matar palmeirense é preso

Raimundo Cesar Faustino teria agredido torcedor com um galho de árvore após briga na estação Franco da Rocha da CPTM

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2014 | 16h21

Raimundo Cesar Faustino, acusado de matar o palmeirense Gilberto Torres Pereira, 31 anos, foi preso às 15h desta terça-feira em Francisco Morato, na Grande São Paulo. Conhecido como Capá, Faustino é vereador na cidade e candidato a deputado estadual pelo PT.

Após briga entre corintianos e palmeirense na estação Franco da Rocha da CPTM no último dia 17, Pereira teve morte encefálica no dia 20. Ele sofreu traumatismo craniano, chegou a passar por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos. A família do torcedor decidiu doar os órgãos. Pereira levou vários golpes na cabeça durante a briga. Testemunhas dizem ter visto Capá agredindo Pereira com um galho de árvore e fugindo no momento em que os policiais militares chegaram do local do crime.

A Polícia pediu a prisão preventiva de Capá desde o último dia 19. Ele foi primeiramente denunciado por tentativa de homicídio, rixa qualificada e por provocar tumulto. Depois da confirmação da morte cerebral de Pereira, a delegada Rafaela Aceto mudou a acusação para homicídio. Outros dois corintianos estão presos desde domingo.

O corintiano prestou depoimento um dia depois da briga e foi liberado em seguida. Segundo o seu advogado, ele apenas socorreu os colegas que estavam apanhando dos palmeirenses e não teve envolvimento na morte de Pereira.

Na segunda-feira, o Partido dos Trabalhadores anunciou que a Comissão Executiva do diretório estadual da legenda decidiu, por unanimidade, suspender Capá por 60 dias. Com a punição, ele está impedido de participar da campanha do partido e não aparecerá no horário eleitoral gratuito na TV e no rádio. O caso de Capá será encaminhado para a Comissão de Ética do partido e ele deve ser expulso da sigla. Se confirmada a exclusão, Capá não poderá concorrer a uma vaga de deputado estadual nas eleições de outubro.

Não é a primeira vez que o vereador se envolve em confusão com torcedores adversários. No ano passado, durante briga com vascaínos no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, ele foi flagrado dando um chute em um policial militar. À época, alegou que estava apenas se defendendo. Capá é sócio da Gaviões da Fiel, principal organizada do Corinthians, desde 1988.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.