Vestibular para cinco palmeirenses

Hoje é dia de "vestibular" para cinco jogadores palmeirenses: Diego Cavallieri e André Rocha, que saem jogando, e mais os juniores David, Marquinhos e Vinícius, que ficam no banco e podem entrar durante a partida. Eles serão observados pelo técnico Estevam Soares e pela diretoria.O rendimento deles no jogo contra o Criciúma e também no do próximo domingo, contra o Fluminense, no Rio de Janeiro, será decisivo para o futuro de cada um no clube. "É a grande chance de eles mostrarem o que sabem", recomenda Estevam. "Confio neles. Todos têm grande potencial e podem se tornar o futuro do Palmeiras".A chance apareceu por acaso. Com a decisão do presidente Mustafá Contursi de antecipar as férias de nove profissionais, o treinador ficou sem muitas opções no elenco. O jeito foi apelar para o time de juniores, ainda em formação.Marquinhos e Vinícius são os que "subiram" com melhores referências. Principalmente Vinícius, um canhoto que pode atuar na lateral ou no meio-de-campo. "Desde que cheguei no Palmeiras (em maio), falam muito bem desse Vinícius. O Gerson Sodré, meu auxiliar, foi o primeiro a me alertar. E, de fato, o garoto joga muito. Tem uma polivalência e uma técnica refinada", elogia Estevam, que chegou a testar o garoto no meio-de-campo titular durante o treino de quinta-feira. Mas Estevam pensa mesmo em utilizá-lo como lateral-esquerdo (talvez como substituto do contestado Lúcio, que diz ter propostas para sair do Palmeiras). "O Vinícius ainda não tem estrutura física para jogar no meio. Por isso, deve começar na lateral", diz Estevam.O que mais chama a atenção do treinador é a desenvoltura de Vinícius. "Ele não se inibe no meio dos outros". Estevam tem dado ao jogador atenção especial. "No seu primeiro treino, vi que ele estava com o coraçãozinho acelerado. Aí falei: ?Calma, garoto! Não precisa se afobar que eu sei que você sabe jogar bola?. Ele se acalmou e jogou para caramba", conta o treinador.A personalidade forte de Vinícius pode ser observada até na famosa "roda de bobinhos" que os jogadores fazem antes dos treinos. Ontem, enquanto atletas já conhecidos como Claudecir e Thiago Gentil tentavam lhe tirar a bola, Vinícius esbanjava técnica com toques de calcanhar e ?embaixadinhas?. "Ele é muito abusado", brinca Estevam.Se Vinícius é uma promessa para o futuro, o goleiro Diego Cavallieri já é tido como uma realidade dentro do Palmeiras. Treinando entre os profissionais há mais de três anos, Diego já teve algumas chances como titular, como no começo do ano, quando Sérgio e Marcos estavam machucados. E não decepcionou. "Sei que muitos vão estar me observando, mas estou tranqüilo com essa pressão. Para mim, não é novidade ser titular do time principal, estou tranqüilo", diz Diego, outro que, segundo Estevam, tem muita personalidade. "Chama a atenção a frieza que o Diego tem em campo. Além do mais, é um goleiro formado no clube, na mesma escola que formou Sérgio, Marcos e Velloso", compara Estevam.Diego está com o futuro garantido no Palmeiras. Tem contrato até 2006. O "vestibular" que presta hoje é para provar que tem condições de ser titular, desbancando os trintões Marcos e Sérgio, ambos com mais de uma década de clube.Já o lateral André Rocha luta é pelo emprego. Seu contrato acaba dia 31 e ele teme que não seja renovado. Principalmente porque esteve na famigerada reunião do Sindicato dos Atletas de São Paulo, em novembro, que tanto irritou Mustafá Contursi. "Não sabia que aquela reunião daria toda essa repercussão", diz André, que só foi titular uma vez pelo Palmeiras: na vitória por 2 a 0 sobre o Juventude, em 17 de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.