Veteranos se unem para acalmar Corinthians

Os jogadores mais experientes do Corinthians resolveram se unir e tentar resolver seus problemas sozinhos. Já perceberam que a diretoria e até o técnico Oswaldo de Oliveira não estão sabendo lidar com toda a pressão que o time tem sofrido nos últimos tempos. O medo do rebaixamento no Brasileiro motivou os atletas a buscarem soluções para reverter o pessimismo já na estréia de quarta-feira, em Campinas, contra a Ponte Preta. "Quando o Palmeiras passava por fases de muita cobrança, os mais velhos assumiram o time, como o Zinho, o Sampaio e o Velloso. Eu era jovem e sei o que eles fizeram para o bem de todos. Agora chegou a minha vez, do Rincón, Fábio Costa e o Váldson para transformar o ambiente e deixar tudo em paz. Tem problemas que só dependem dos jogadores", diz Rogério.Não foi por acaso nem por disfarce que Oswaldo de Oliveira disse não saber da pedrada que o carro que levava Rincón, Fábio Costa e Váldson tomou na saída do Pacaembu na semana passada. "Não sei de nada. Ninguém me contou", dizia, constrangido, o treinador do Corinthians. "Nós não precisamos falar tudo para o treinador. Só confirmei para a imprensa o que os jornalistas já sabiam. Chegou a hora de assumirmos as nossas responsabilidades com o grupo", confirma Rincón. "Nós estamos tratando de acalmar os mais jovens. Nosso time tem potencial para pensar em brigar pelo título. Essa história de rebaixamento é péssima. Quanto mais falarmos, mais o time vai ficando desmotivado e preocupado. Vamos falar em brigar pelo melhor e não fugir do pior", resume, irritado, Rogério que mesmo com dores nas costelas jogará contra a Ponte.Os experientes souberam pelo vice-presidente Roque Citadini que a diretoria não tem dinheiro para fazer grandes contratações. Sentindo o medo dos jovens, os atletas perceberam que eles correm o sério risco de serem desvalorizados com o rebaixamento. Assim, assumiram o time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.