Veto a acompanhante faz Maradona se recusar a ver o jogo

O porta-voz da Fifa, Markus Siegler, afirmou neste sábado que o ex-jogador argentino Diego Maradona não assistiu à partida válida pelas quartas-de-final, entre Alemanha e Argentina, porque se recusou a entrar no Estádio Olímpico de Berlim quando o acesso a um de seus acompanhantes não foi permitido.O acompanhante, cujo nome não foi revelado, "teve má conduta ao longo do Mundial, com reiteradas agressões físicas e, além disso, não está na lista dos convidados", ressaltou Siegler. Segundo o porta-voz da Fifa, "Maradona, como comentarista do canal de televisão ´Cuatro´, dispõe de quatro ingressos para a tribuna VIP e, ontem (sexta), chegou ao estádio com mais pessoas do que havia comunicado previamente".Siegler explicou que o ex-jogador decidiu não ingressar no estádio quando a entrada a seu acompanhante foi negada, e ressaltou que não se tratava de seu guarda-costas. "Maradona é sempre bem-vindo e, se não entrou, foi por sua própria vontade. É preciso entender que o número de ingressos, ainda mais para uma partida como Alemanha e Argentina, é limitado".Nos quatro jogos até então realizados pela seleção argentina nesta Copa, Maradona tinha sido presença destacada, sempre acompanhado de sua filha Giannina e, às vezes, pela ex-mulher e alguns amigos. No primeiro encontro em que o maior ídolo de sua seleção não esteve presente ao estádio, a Argentina foi eliminada do Mundial pela Alemanha, em disputa por pênaltis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.