Veto a acompanhante faz Maradona se recusar a ver o jogo

O porta-voz da Fifa, Markus Siegler, afirmou neste sábado que o ex-jogador argentino Diego Maradona não assistiu à partida válida pelas quartas-de-final, entre Alemanha e Argentina, porque se recusou a entrar no Estádio Olímpico de Berlim quando o acesso a um de seus acompanhantes não foi permitido. O acompanhante, cujo nome não foi revelado, "teve má conduta ao longo do Mundial, com reiteradas agressões físicas e, além disso, não está na lista dos convidados", ressaltou Siegler. Segundo o porta-voz da Fifa, "Maradona, como comentarista do canal de televisão ´Cuatro´, dispõe de quatro ingressos para a tribuna VIP e, ontem (sexta), chegou ao estádio com mais pessoas do que havia comunicado previamente". Siegler explicou que o ex-jogador decidiu não ingressar no estádio quando a entrada a seu acompanhante foi negada, e ressaltou que não se tratava de seu guarda-costas. "Maradona é sempre bem-vindo e, se não entrou, foi por sua própria vontade. É preciso entender que o número de ingressos, ainda mais para uma partida como Alemanha e Argentina, é limitado". Nos quatro jogos até então realizados pela seleção argentina nesta Copa, Maradona tinha sido presença destacada, sempre acompanhado de sua filha Giannina e, às vezes, pela ex-mulher e alguns amigos. No primeiro encontro em que o maior ídolo de sua seleção não esteve presente ao estádio, a Argentina foi eliminada do Mundial pela Alemanha, em disputa por pênaltis.

Agencia Estado,

01 Julho 2006 | 07h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.