Veto do Bayern acaba ajudando Élber

O Bayern Munich vetou a ida de Élber à Colômbia para defender a seleção brasileira na Copa América, mas o atacante não ficou tão aborrecido por não poder fazer parte da equipe de Luiz Felipe Scolari. A posição do clube alemão acabou servindo como uma ótima desculpa para que ele não fizesse como Mauro Silva, que abandonou a delegação no aeroporto, ainda em São Paulo. Embora tenha dito nos últimos dias que gostaria de disputar o torneio, o jogador estava com medo de ir à Colômbia. Confessou isso a amigos e, também, em entrevista à Agência Estado, poucos dias antes da confirmação de que a Copa América seria realizada. Quando voltou de Montevidéu, onde defendeu a seleção contra o Uruguai, pelas eliminatórias, há 12 dias, Élber disse ter ficado aliviado com a decisão da Confederação Sul-Americana de Futebol de cancelar a competição. Não imaginava que tudo pudesse ser mudado de um dia para o outro. E fez duras críticas à entidade. "Acho que o pessoal da Sul-Americana não tinha noção do perigo que todos iriam correr", afirmou. "Eles marcam uma competição na Colômbia porque não vão estar lá, mas nós, sim." A pressão dos familiares de Élber para que ele não fosse era grande. O próprio jogador não mostrou nenhum constrangimento em dizer que estava temendo algum problema mais sério. "É claro que nós temos medo, eu tenho uma família para criar." O temor foi motivado pelas notícias de ataques terroristas de grupos como a Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e o ELN (Exército de Libertação Nacional) divulgadas nos últimos meses em todo o mundo. A ausência na Copa América pode prejudicar o futuro do atacante na seleção brasileira. Sem ele, jogadores como Geovanni, Ewerthon e Jardel terão oportunidade de firmar-se no time. Seu espaço ficará ainda mais reduzido se Ronaldo se recuperar bem fisicamente e se Romário tiver o perdão de Scolari para retornar à equipe. O treinador ficou irritado com sua viagem para o México para defender o Vasco. Scolari o havia liberado da seleção para que se submetesse a uma cirurgia no olho. Élber iniciou a partida contra o Uruguai, mas não teve bom desempenho. Por isso, foi substituído no segundo tempo. Foi convocado novamente para defender a equipe na Colômbia por causa das boas atuações que teve na Alemanha na última temporada, ajudando a levar o Bayern ao título da Copa dos Campeões da Europa. Sua situação, porém, complicou-se. Só não é pior que a de Mauro Silva. Embora não diga isso abertamente, Scolari não chamará mais o volante para os próximos jogos da seleção. O técnico gaúcho "ressuscitou" Mauro Silva, que estava esquecido na Espanha. O refugo na última hora, no entanto, praticamente encerrou sua carreira na equipe brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.