Vexame: Palmeiras leva 3 a 1 do Colo Colo no Palestra Itália

Defesa tem atuação desastrosa, Luxemburgo erra nas alterações e time sofre a segunda derrota na Libertadores

André Rigue, estadao.com.br

03 de março de 2009 | 21h59

  Tiago Queiroz/AE Keirrison observa a festa do Colo Colo na derrota do Palmeiras por 3 a 1 pela Copa Libertadores   SÃO PAULO - Vexame! O Palmeiras teve uma atuação desastrosa na noite desta terça-feira e foi derrotado pelo Colo Colo, em pleno Palestra Itália, por 3 a 1, pela segunda rodada do Grupo 1 da Copa Libertadores. O resultado complicou o time alviverde, que sofreu a segunda derrota e amarga o último lugar da chave.   Veja também: Luxemburgo diz que Palmeiras não sabe jogar a Libertadores  Ouça os gols do jogo pela Rádio Eldorado/ESPN  Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão  Libertadores 2009 - Tabela e classificação   O técnico Vanderlei Luxemburgo disse que este era o jogo do ano do Palmeiras e que o time deveria entrar em campo com muita disposição. O lateral-esquerdo Armero, suspenso, deu lugar para Marcão. Já o goleiro Marcos não se recuperou de um edema na coxa direita e teve de ser substituído por Bruno.   Apesar de o Palestra Itália estar lotado, o Palmeiras começou muito nervoso e sucumbiu perante à marcação chilena. O único bom ataque do time no primeiro tempo aconteceu aos 20 minutos. Willians ganhou pela esquerda e cruzou na boca do gol. Keirrison não conseguiu alcançar e a bola sobrou para Marcão. O lateral bateu no canto, mas o goleiro Muñoz pegou.   Depois do chute de Marcão, o Colo Colo foi para o ataque. Aos 32 minutos, o argentino Lucas Barrios chegou à linha de fundo e cruzou. Torres bateu forte e o goleiro Bruno foi obrigado a fazer bela defesa. Um minuto depois, foi a vez do próprio Barrios finalizar de cabeça para o gol. Bruno, novamente, salvou.   O goleiro do Palmeiras fez tudo o que foi possível, mas não impediu que os chilenos abrissem o marcador. Aos 43 minutos, Sanhueza fez lindo passe para Lucas Barrios. O argentino ganhou da marcação de Danilo e Maurício e bateu no contrapé de Bruno. A bola entrou suavemente no gol palmeirense, garantindo a vantagem para o Colo Colo no primeiro tempo.   Acostumado a atacar, Luxemburgo surpreendeu na etapa final ao colocar Jumar e Jefferson nas vagas de Maurício Ramos e M  Palmeiras 1 Bruno; Maurício Ramos     (Jumar), Edmilson e Danilo; Fabinho Capixaba (Lenny), Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza e Marcão (Jefferson); Willians e Keirrison Técnico: Vanderlei Luxemburgo  Colo Colo (CHI) 3 Muñoz; Figueroa, Miguel Riffo    , Mena     e Millar; Salcedo, Sanhueza, Melendez     e Torres (Opazo); Carranza (Caroca    ) e Lucas Barrios (Gonzalez) Técnico: Marcelo Barticciotto Gols: Lucas Barrios, aos 43 minutos do primeiro tempo; Torres, aos 9, Keirrison, aos 25, e Gonzalez, aos 34 minutos do segundo tempo Árbitro: Sergio Pezzotta (ARG)Renda: RS 885.405,00Público: 23.285 pagantesEstádio: Palestra Itália, em São Paulo (SP)arcão, respectivamente. O Palmeiras voltou no mesmo ritmo, mas a torcida se empolgou com a expulsão do volante Melendez, aos 6 minutos da etapa final. A expectativa era que o Palmeiras pressionasse. Mas não foi isso o que ocorreu.   Aos 9 minutos, Lucas Barrios deixou dois marcadores do Palmeiras para trás e cruzou dentro da área. A bola caiu nos pés de Torres, que só teve o trabalho de tirar de Bruno e estufar as redes - a defesa do alviverde teve uma atuação desastrosa, a pior do ano.   Depois do segundo gol chileno, Luxemburgo, enfim, "acordou" e colocou Lenny no lugar de Fabinho Capixaba. Com um homem a mais, o Palmeiras passou a pressionar e chegou ao gol aos 25 minutos. Em cruzamento de Cleiton Xavier, Keirrison apareceu na área e cabeceou. A bola foi para o fundo das redes e fez o Palestra Itália explodir.   No entanto, a noite era dos chilenos. Aos 34 minutos, em nova falha do setor defensivo palmeirense, desta vez na cobertura de Edmilson, Gonzalez saiu livre na cara de Bruno e teve tranquilidade para tocar para o gol, garantindo o placar de 3 a 1 e vaias no apito final para o time alviverde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.