Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Vice do Atlético-MG festeja derrota do Cruzeiro e provoca: 'Ruína ainda não está completa'

Lásaro Cândido da Cunha provocou o arquirrival nas redes sociais e afirmou estar 'próximo do céu'

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de dezembro de 2020 | 14h15

O calvário do Cruzeiro, que perdeu de virada para a Ponte Preta em Campinas e ficou ainda mais distante do acesso à Série A do Campeonato Brasileiro, é motivo de comemoração para o vice-presidente do Atlético-MG, Lásaro Cândido da Cunha. O dirigente vibrou com o revés do arquirrival na Série B e aproveitou a ocasião para provocar o clube celeste.

Minutos antes da derrota do Cruzeiro, Lásaro da Cunha havia escrito em seu perfil no Twitter que a ruína do Cruzeiro “ainda não está completa”. Em seu comentário, ele voltou no tempo e lembrou da opinião de um amigo, que havia sugerido, há dois anos, que o Atlético-MG deveria seguir a linha de gestão do maior rival, que, na época, acabara de ganhar o Campeonato Mineiro.

“Há cerca de 2 anos quando perdemos o campeonato mineiro na 'mão grande' fui na época questionado por um amigo atleticano, dizendo que o Galo deveria imitar o tal clube, contratando a qualquer preço etc. Disse a ele na época: 'aquilo lá vai explodir'. Espere… A ruína ainda não está completa", afirmou o dirigente.

Questionado por um internauta se havia acordado feliz após o revés do Cruzeiro na Série B, o vice do Atlético respondeu em tom de brincadeira: "Feliz não. Próximo do “céu”....rs”.

O time da Toca da Raposa vive uma sobreposição de crises, financeira, técnica e administrativa desde a temporada passada, decepciona em campo e deve passar o centenário fora da elite do futebol brasileiro. O clube tenta se reestruturar, mas os resultados em campo indicam que vai permanecer mais um ano na segunda divisão nacional.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.