Flu atribui protesto a grupo isolado: 'Não é a nossa torcida'

O vice-presidente de futebol do Fluminense, Mário Bittencourt, criticou o protesto que atrapalhou o treino do time nesta terça-feira, nas Laranjeiras, e atribuiu as manifestações a um grupo isolado - um dos torcedores chegou a invadir o gramado. "Não é a nossa torcida. É um grupo", afirmou.

Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2015 | 19h41

"É triste, é feio. Mas, infelizmente, a gente ainda passa por essas situações no Brasil. Não falo no particular. Sinto pelas pessoas que aqui trabalham. Nos prejudicou, atrasou o treino. Os jogadores trabalharam sob pressão. Pode nos prejudicar amanhã. Não vou generalizar. Não é a nossa torcida. É um grupo", declarou.

Bittencourt insinuou que o protesto foi motivado por disputas políticas dentro do clube, e não por insatisfação com o fraco rendimento da equipe nas últimas rodadas do Brasileirão. "Temos de avaliar se é só um protesto. Não sou contra. É um direito democrático. Mas, a partir do momento que a gente percebe, que a intenção é outra, que não apenas reclamar do time, fico triste", comentou.

As manifestações nas arquibancadas das Laranjeiras atrapalharam o treino do Fluminense, em preparação para o jogo contra o Palmeiras, e interromperam a atividade quando um deles conseguiu invadir o gramado. O torcedor não tentou agredir nenhum jogador ou membro da comissão técnica. Apenas conversou com o zagueiro Antônio Carlos e o volante Edson. Também teve contato com o auxiliar técnico Marcão. Foi logo parado pelos seguranças do clube e retirado do local.

Antes da invasão, um grupo de torcedores já protestavam com faixas, atacando o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, e o vice Mário Bittencourt: "Fora Mário incompetente" e "Peter rumo a Tóquio". Também pediram a saída do técnico Enderson Moreira.

Foi a segunda manifestação hostil da torcida em menos de 24 horas. Na noite de segunda-feira, no desembarque do time no Rio de Janeiro, um grupo armou protesto no aeroporto do Galeão e escolheram Enderson Moreira e Fred como os principais alvos. O clima ficou tenso e uma lata de cerveja foi arremessada em direção ao goleador, mas o objeto não acertou o atleta. "Fred, marqueteiro, o Fluminense não precisa de você!", gritaram os torcedores.

TIME

Após repreender as manifestações da torcida, Mário Bittencourt revelou que o meia Gustavo Scarpa, que vinha atuando na lateral, está fora da partida contra o Palmeiras, quarta-feira, no Maracanã.

"Gustavo Scarpa não vai jogar. Ele era um dos nossos melhores em campo. Mas chegou a um limite físico. Ele queria jogar, mas vamos preservar. Não podemos perdê-lo para o resto do campeonato", justificou o dirigente, sem revelar o nome do substituto no duelo deste meio de semana.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseMário Bittencourt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.